Publicado em 15/04/2013 as 12:00am

Capixaba é condenado a 24 anos por homicídio

Brasileiro foi preso quando tentava entrar novamente nos Estados Unidos

 da redação

Em setembro do ano passado, o capixaba Arthur Pontes Silva, de 22 anos, residente em Cliffside Park (NJ), assumiu a culpa derivada da acusação de homicídio com agravantes, publicou o portal online NJ.com. Na ocasião, Arthur foi acusado de matar a tiros Spencer Hernandez, de 23 anos, residente em West New York (NJ). O incidente ocorreu em 2010, em frente à residência da vítima. Em 1 de novembro do ano passado, o brasileiro foi condenado a 20 anos de detenção pela Juíza Lisa Rose, informou o Departamento de Arquivos Criminalistas do Tribunal do Condado de Hudson, via telefone à equipe de reportagem do BV, na terça-feira, 9 de abril. A atendente, que não se identificou, detalhou que havia somente um "Arthur Silva" em seus arquivos e que esse havia sido condenado a 20 anos de detenção. A sentença foi lida  no Hudson County Administration Building, em Jersey City.
“Isso é simplesmente uma situação trágica”, disse Rana, depois da audiência, em setembro. “Um jovem de 23 anos perdido pela família, irmãos e dois filhos. Não havia razões para esse tipo de violência que foi exibido aqui”.
Os parentes da vítima estiveram presentes durante a audiência e Rana disse que eles estavam “simplesmente devastados. Absolutamente devastados”.
Na noite de 7 de outubro de 2010, Hernandez recebeu uma ligação telefônica pedindo que ele saísse à rua , aproximadamente às 3 horas da manhã, e, uma vez na calçada, ele teve um confronto verbal com Silva, antes que ele atirassem, segundo as autoridades.
Especula-se que o réu também tenha atirado em mais outros dois indivíduos, que correram de volta ao prédio, onde a polícia encontrou cartuchos de bala deflagrados, informaram as autoridades na ocasião. Aproximadamente, 6 disparos foram feitos com uma pistola semiautomática de 99mm e Hernandez foi atingido uma vez no abdômen, com uma bala perfurando um rim, um pulmão e artéria aorta, detalhou Rana.
Um mês depois da prisão de Silva, investigadores do Departamento de Homicídios do Condado de Hudson vasculharam um hotel na Flórida, mas o brasileiro tinha ido ao Texas para sair do país. O pai do fugitivo, Carlos Silva, foi preso em 16 de novembro de 2010 e acusado de impedir a prisão do réu ao enviá-lo a quantia de US$ 500 em Miami Beach (FL), informaram as autoridades.
As autoridades migratórias prenderam Silva quando ele tentava entrar novamente nos Estados Unidos na fronteira de Laredo, Texas, em novembro de 2010. Agentes da Patrulha da Fronteira verificaram os arquivos e descobriram que ele estava sendo procurado pela polícia no Condado de Hudson.

Fonte: Brazilian Voice