Publicado em 15/04/2013 as 12:00am

Mais duas empresas de remessas são suspensas em MA

O governo dos Estados Unidos suspenderam as atividades de mais duas empresas de remessas de dinheiro para o Brasil. A Global Money e Intertransfers estão com as suas atividades paradas sob a acusação de violar as leis reguladoras financeiras do país. Devi

da redação
O governo dos Estados Unidos suspenderam as atividades de mais duas empresas de remessas de dinheiro para o Brasil. A Global Money e Intertransfers estão com as suas atividades paradas sob a acusação de violar as leis reguladoras financeiras do país. Devido a isso, o órgão emitiu, na quarta-feira (10) uma ordem temporária de suspensão das operações destas empresas no estado de Massachusetts.
O comissário da Divisão de Bancos (Division of Banks Enforcement Action), David J. Cotney, afirmou que a empresa Global Money Remittance, com sede em Miami (FL), estava sob investigação de envolvimento ou prestes a se envolver em violações das leis reguladoras financeiras de Massachusetts.
A explicação do DBEA, é que a Global Money controla a subsidiária Intertransfers, Inc., que oferece serviços de remessas de dinheiro feitas em grande parte por imigrantes nos Estados Unidos ao Brasil. A licença desta empresa foi emitida em abril de 2006, pelo próprio comissário, que dava permissão de envio internacional de valores. A Global Money possui 26 agentes credenciados na região da Nova Inglaterra.
A Global Money pega dinheiro de clientes em Massachusetts e envia para o Brasil e conforme alguns relatórios, em 2012, a empresa enviou US$ 34.975,176.
Segundo as leis de Massachusetts, a empresa que recebe o dinheiro deve enviá-lo direto para o destinatário no prazo máximo de sete dias a partir da emissão do dinheiro. A suspensão da licença aconteceu em razão de que a empresa não enviou todo o dinheiro no prazo estipulado.
Entre 4 e 10 de abril, a Divisão recebeu denúncias de que a Intertransfers, subsidiária da Global Money, não enviou o dinheiro recebido pela empresa de 102 clientes em Massachusetts em até 7 dias desde a emissão do recibo. Além disso, conforme o órgão, entre 18 de março até 10 de abril, a Intertransfers não enviou o total aproximado de US$ 231.531,60 de inúmeros clientes em Massachusetts.
Na terça-feira (9), representantes da DBEA contataram Erik Rodriguez, responsável pelo caso da Global Money para discutir as informações contidas nos parágrafos 8 a 11 na Ordem Temporária. Durante a teleconferência, representantes da Global Money disseram ao órgão governamental que a Intertransfers estava ciente da falha em enviar os fundos e que ambas as empresas enfrentavam dificuldades financeiras.
Ainda durante a teleconferência de terça-feira (9), representantes das duas empresas notificaram aos representantes do DBEA que a Intertransfers estaria somente reembolsando clientes que enviaram valores consideráveis os quais foram formalmente pedidos por eles e que todas as outras transmissões pendentes, provavelmente, seriam realizadas em 3 dias.
Entretanto, representantes da Intertransfers não garantiram aos representantes da DBEA que a empresa possuía capacidade financeira suficiente para enviar o dinheiro recebido de todos os clientes anteriores, segundo o portal online do Departamento dos Direitos dos Consumidores e Regulamentação de Negócios (CABR). O órgão acrescentou que ainda não se sabe quantos clientes em Massachusetts foram prejudicados pela falha da Intertransfers em enviar tais remessas ou se a prática continua até hoje.
Ambas as empresas tinham até sexta-feira (12), para concluir as remessas de maneira legal ou ressarcir seus clientes, caso contrário, a ordem temporária de suspensão pode se tornar permanente, além de outras sanções penais.

Fonte: Brazilian Times