Publicado em 24/04/2013 as 12:00am

Brasileiro é recebido por Obama

O brasileiro que concorria ao título de 'Professor do Ano' nos Estados Unidos, Alexandre Lopes, não levou o prêmio, mas ainda assim foi recebido pelo presidente Obama na terça-feira (22), na Casa Branca.

da redação

Brasileiro não leva título de 'Melhor Professor', mas vai à Casa Branca
Professor de Washington levou o título, mas Alexandre Lopes também foi recebido por Obama. O brasileiro que concorria ao título de ‘Professor do Ano’ nos Estados Unidos, Alexandre Lopes, não levou o prêmio, mas ainda assim foi recebido pelo presidente Obama na terça-feira (22), na Casa Branca. Quem ganhou foi o professor de química, física e engenharia no estado de Washington, Jeff Charbonneau.
O brasileiro disse que ficou “muito feliz por ter ido à Casa Branca e apertar a mão do presidente Barack Obama, mas ainda há muito o que fazer.”
Lopes, que leciona na Carol City Elementary School, em Miami, especializou-se na didática a crianças com necessidades especiais e minorias, que necessitam de métodos especiais de ensino e um trabalho especializado para sua inserção social.
Ele emigrou do Brasil para os Estados Unidos em 1995 e, depois de alguns anos trabalhando como comissário de bordo, decidiu mudar de carreira. O brasileiro voltou à faculdade e acabou se tornando professor especializado em educação inclusiva para crianças em idade pré-escolar.
Lopes disse que sua intuição era de que não seria o vencedor. “Acho que cheguei até onde podia chegar. Jamais imaginavam que um professor do maternal poderia ir à final deste prêmio nacional”, afirmou.
Lopes explicou que, atualmente, o governo norte-americano tem dado ênfase em sua nova política educacional, que inclui a implantação de um currículo único nacional —antes, os estados tinham autonomia para decidir seu currículo mínimo. Porém, as classes de pré-escola são o único nível de ensino que não estão obrigadas a implantar essa norma. Como o professor do ano tem como incumbência dialogar com docentes de todo o país e apoiar a nova política, o brasileiro acreditava que seriam grandes as chances de um dos outros três finalistas, que atuam no ensino médio, ser escolhido ou escolhida.
O professor brasileiro dá aulas para crianças de três a cinco anos na escola Carol City Elementary, em Miami, na Flórida, além de fazer seu doutorado na Universidade Internacional da Flórida (FIU, na sigla em inglês).
Desde julho do ano passado, porém, ele está licenciado do emprego para honrar os compromissos que assumiu quando recebeu o título de Melhor Professor do Ano da Flórida. Ele foi eleito em um concurso de várias etapas feito entre os mais de 180 mil professores da rede estadual de ensino do estado.
Além de receber dezenas de milhares de dólares em dinheiro e prêmios, como vale-compras, viagens e até um carro, Lopes passou os meses seguintes dando palestras e participante de eventos como representante dos professores da Flórida. Ele ainda passou por novas etapas da seleção nacional do concurso com outras dezenas de professores selecionados em seus estados. Em janeiro, o Departamento de Educação dos EUA anunciou os quatro finalistas, e o brasileiro estava entre eles.

legenda
Lopes: “Eu não diferencio meus alunos. Procuro ser consistente para fazer com que meus alunos com autismo tenham os outros como modelo, e para fazer com que meus outros alunos aceitem todas as diferenças que existem na nossa sociedade”

Fonte: Brazilian Times