Publicado em 19/06/2013 as 12:00am

Músico ameaça jornalista brasileiro em Massachusetts através do Facebook

Músico ameaça jornalista brasileiro em Massachusetts através do Facebook

da redação

 

Uma ameaça de agressão e morte foi um dos assuntos da comunidade brasileira que vive em Massachusetts. O músico e pagodeiro Aurélio Mendes postou um comentário no facebook criticando o jornalista Adson Fernandes.

Em suas palavras, o pagodeiro chegou a falar que se encontrasse o jornalista só colocaria as mãos nele para ‘arrancar a cabeça do corpo’. Apesar do assunto estar ainda na rede social, muitos acreditam que se houver um encontro entre eles, o clima pode esquentar e realmente haverá agressões físicas.

Não ficou certo o motivo desta briga, mas alguns acredita que seja motivado por discordância política, pois em um dos artigos o pagodeiro escreveu que ‘a presidente Dilma foi vaiada por 80 mil vozes e que pessoas como Adson vão entrar no cacete muito em breve’.

O pagodeiro ainda ameaçou: ‘vou te encontrar por ai e te colocar para correr. se for no meu pagode vai passar vergonha’. Pelo que tudo indica além da divergência de opinião, Adson teria excluído Aurélio de seu rol de amigos na rede social e isso teria irritado mais ainda o músico.

Adson, respondendo as ameaças, disse que não tem medo e ainda deu o endereço de sua residência para que Aurélio o procure para conversar.

Aurélio ainda disse que, para ele, violência significa hospital, cemitério e cadeia. ‘Se eu ficasse no Brasil já estaria morto, pois este tipo de discussão o teria forçado a pegar o elemento’, escreveu ele se referindo a uma arma.

O pagodeiro ainda convida Adson para entrar para o Partido Verde, ‘onde se fuma um baseado mais tranquilo’.

No final da ameaça, Aurélio diz que jamais colocará as mãos em Adson se não for para lhe arrancar a cabeça do tronco.

A redação do jornal Brazilian Times tentou conversar com os dois envolvidos na história, mas até o fechamento desta edição não obteve sucesso.

Em conversa com alguns amigos de Adson, tudo indica que ele vai procurar a Corte se as ameaças continuarem.

Fonte: Brazilian Times

Top News