Publicado em 8/07/2013 as 12:00am

Brasileiros são presos e acusados de crueldade infantil

Brasileiros são presos e acusados de crueldade infantil

Bruno Rodrigues Martelliti é acusado de espancar a filha da namorada, Emília Regina Saraiva, de 5 anos de idade

 

da redação

 

Na segunda-feira (1), policiais do Departamento de Polícia de Deerfield Beach, na Flórida,  prenderam o casal de namorados Bruno Rodrigues Martelliti, de 34 anos, e Emília Regina Saraiva, de 24 anos, acusados de espancarem a filha de 5 anos de idade de Emília, fruto de um relacionamento anterior. O incidente ocorreu depois que Emília deixou a filha em uma creche, em Pompano Beach (FL). Quando outra mãe chegou para deixar seus filhos, foi surpreendida pela babá chorando, relatando-lhe que a filha de Saraiva apresentava hematomas espalhados no corpo. Preocupada, a mãe recomendou a babá a que ligasse imediatamente para a polícia. Ao invés disso, a babá decidiu telefonar para a mãe da criança, que alegou que a menina insistia muito para dormir com ela e namorado, portanto, “dando uns tapas nela”.

No final do dia, a babá se recusou a devolver a criança e contatou as autoridades. Os policiais ligaram para Bruno e Emília, que compareceram à creche. Na tentativa de escapar das acusações, Emília disse que havia sido a babá que bateu em sua filha, entretanto, quando os policiais perguntaram a vítima ela disse que havia sido sua própria mãe e o namorado.

Bruno e Emília foram algemados e encaminhados à delegacia local para serem autuados, sendo transferidos para penitenciárias diferentes. Ambos enfrentam a acusação de crueldade contra menores de idade.

Na terça-feira (2), Emília foi transferida da Penitenciária Paul Rein para um centro de detenções do Departamento de Imigração (ICE). Na terça-feira (2), segundo fontes, Bruno pagou a fiança, estabelecida em US$ 7.500, e foi liberado.

Uma conhecida da babá teria ligado para o pai biológico da menina, um norte-americano, entretanto, como ele possui várias passagens pela polícia, a criança teria ficado aos cuidados do Departamento de Menores (DYFS).

 

Violência infantil

A família é o ambiente ideal e fundamental para o desenvolvimento saudável da criança. É a partir do convívio com os pais, irmãos e demais parentes que se aprende e se desenvolve boa parte das capacidades essenciais para a vida adulta. Entretanto, nesse mesmo contexto, acontecem as mais variadas formas de violência contra crianças e adolescentes. São casos de violência física, sexual, psicológica e de negligência (abandonos e omissão em relação às necessidades físicas e emocionais) cometidas por pais, padrastos, tios, avós, irmãos, primos e amigos próximos. Alguns desses casos são tão violentos que chegam a levar a criança à morte.

O UNICEF lançou um programa que ajuda as famílias a proteger melhor seus filhos, promovendo um processo de educação sem qualquer tipo de violência, e a reverter dinâmicas violentas em casa. Uma das estratégias é capacitar profissionais de educação, saúde e assistência social para identificar e lidar com a violência contra a criança no lar. Eles oferecem apoio psicológico às vítimas de agressões e buscam, também, reintegrar à família crianças e adolescentes em situação de rua, superando conflitos e violações anteriores. A entidade também apoia a melhor articulação de redes de atendimento local, aprimorando seus fluxos de notificação, atendimento especializado à criança vítima e responsabilização dos familiares, para evitar nova vitimização da criança e garantir a sua inclusão em políticas de promoção do seu desenvolvimento pleno e saudável. Além disso, trabalha para conscientizar os agressores de que o diálogo e o carinho são a melhor forma de educar a criança.

Fonte: Brazilian Times