Publicado em 8/07/2013 as 12:00am

Procurado por corrupção em Minas Gerais está nos EUA

Procurado por corrupção em Minas Gerais está nos EUA

da redação

Uma megaoperação comandada pela Polícia Federal do Brasil, desarticulou, na manhã desta terça-feira (02), uma grande organização criminosa acusada de desviar recursos públicos de mais de uma centena de cidades em Minas Gerais e outros 10 estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Pernambuco, Sergipe, Paraíba, Maranhão, Pará e Santa Catarina ).

As investigações revelam que os envolvidos fraudavam processos licitatórios para a aquisição de precatórios judiciais. Apenas em Minas, os desvios estimados são de R$ 70 milhões, de acordo com a Polícia Federal.

Os municípios mineiros que sofreram, de acordo com as investigações da Polícia Federal, com a ação do grupo criminoso foram Águas Vermelhas, Capelinha Caratinga, Ipatinga, Itambacuri, Janaúba, Montes Claros, Pirapora, Rio Pardo de Minas, Várzea da Palma, Varzelândia. A ação foi denominada “Violência Invisível” e contou com a participação de cerca de 100 policiais, que cumprem nesta terça-feira mais de 50 mandados judiciais, nove deles de prisão temporária. Os presos podem responder por crimes contra a administração pública, formação de quadrilha, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva e fraude às licitações.

Entre um dos acusados está o ex-prefeito de Montes Claros Luiz Tadeu Leite (PMDB), para o qual já foi expedido um mandado de prisão. Policiais com mandado de busca e apreensão estiveram na casa dele, no Condomínio Portal das Acácias, mas não o encontraram. Há informações que ele está nos Estados Unidos, morando em Miami, na Flórida.

Luiz Tadeu é acusado de manipular informações acerca do funcionamento de unidades de saúde para que o município continuasse recebendo recursos públicos. Segundo o MPF, mais de R$ 4,6 milhões foram repassados nessas condições pelo Ministério da Saúde à administração e não se sabe o destino dado a toda essa verba.

As supostas irregularidades teriam tido início em 2009, quando Tadeu Leite tomou posse, e estariam relacionadas ao funcionamento de dois programas do governo federal: os Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS).

Fonte: Brazilian Times