Publicado em 19/07/2013 as 12:00am

Academia de filho de brasileiro é acusada de racismo em NJ

Academia de filho de brasileiro é acusada de racismo em NJ

da redação

 

Uma ex-gerente da Muscle Maker Grill está movendo uma ação contra o proprietário de uma franquia da rede. Ela o acusa de tê-la orientado a não empregar trabalhadores afro-americano. Robyn Decicco foi demitida de uma das filiais da rede e decidiu acionar judicialmente a empresa. “Ele me disse para jogar as aplicações de trabalho preenchidas por pessoas negras.

Esta ação foi apresentada na Corte Superior da cidade de New Brunswick, no final do mês passado, na qual a ex-empregada afirma que “John Marques não aceitava empregar trabalhadores afro-americanos porque pensa que eles são idiotas”. Ainda no documento, ela relata que recebia cinco aplicações de pessoas negras por semana, mas tinha que jogar fora.

Na segunda-feira (15), o dono e fundador da rede, Rod Silva, que é filho de brasileiros, afirmou que as denúncias seria investigadas e acrescentou que “a sua empresa não aceita este tipo de comportamento”. Ele disse que todas as pessoas que compram franquia de sia rede, recebem normas para serem cumpridas. “Eles têm que obedecer todas as leis, inclusive as que estão relacionadas às questões empregatícias”, disse.

Rod ainda acrescenta em seu comunicado que “é filho de imigrantes brasileiros e já sentiu a dor do racismo ao crescer nas cidades de Newark e Edison”. Ele explica que a ideia de abrir a rede de franquias Muscle Maker foi para ajudar as pessoas de todas as raças e credos a ficar mais perto do Sonho Americano, “baseado no merecimento e não na raça”.

Ele disse, ainda, que tudo será investigado internamente, mas acrescentou que Marques, o proprietário acusado, é dono de mais de uma dúzia de franquias, “Ele já contratou e trabalhou com afro-americanos no passado”, concluiu.

Fonte: Brazilian Times