Publicado em 19/07/2013 as 12:00am

Brasileiro que morou em Boston grava clipe no Brasil

Brasileiro que morou em Boston grava clipe no Brasil

Luciano Sodré

Charles Valadão ficou muito conhecido em Massachusetts pelo seu talento como cantor e isso lhe rendeu várias apresentações, shows e prêmios. Mas agora ele está no Brasil dando seguimento à sua carreira artística e busca despontar na mídia nacional.

Ainda nos estados Unidos, em 2008, ele gravou a música “Nothing has changed”, que caiu no gosto popular. O sucesso foi tanto que em 2011, ela foi trilha sonora do filme “Deixa-me viver”, gravado em Boston.

Charles teve participações no programa Talento Brasil USA, onde recebeu uma homenagem, em 2013, como um dos melhores cantores e compositores brasileiros em atividade nos Estados Unidos. O artista recebeu o troféu “Rising Star”, dado à estrelas brasileiras que despontam no cenário norte-americano. “Fiquei muito emocionado com esta surpresa”, disse ele.

Depois de receber o prêmio, Charles decidiu colocar em prática um projeto que já vinha trabalhando há algum tempo, que era a gravação do seu primeiro videoclipe. Ele optou por ir até Patos, em Minas Gerais, para a produção deste trabalho intitulado “Arrocha”. Mas a paixão pelo local acabou o fisgando e ele pretende ficar na região por mais um período.

As pessoas que desejarem contratá-lo para um show é só ligar no telefone (34) 9669-6259. “O show é uma mistura de arrocha com o pop em inglês”, fala o artista. Mais informações podem ser obtidas no site www.charlesvaladao.com

O Clipe foi produzido por Wesley Castro e Charles agradece as participantes que “ajudaram a deixar o trabalho mais lindo”. Ele cita os nomes das garotas que contribuíram nesta obra: Lithyelle Keysse, Taina Bemannelly, Dayanne Garcia, jessica rabelo, Jessica Merillyn, Bruna Morais, Maria Luiza, Kassia Castro, Francielle Cristina, Jullian Cristi, Nayara Rocha, Jhennifher Keysse,Paula Gonsalves, Bolachinha, Ana Resende,Cristiane Lima, Luciana e suas amigas.

Veja o clipe no link: www.youtube.com/watch?v=DJY9bIgdMQE

Fonte: Brazilian Times