Publicado em 24/07/2013 as 12:00am

Família americana clama por justiça e quer brasileira na cadeia

Família americana clama por justiça e quer brasileira na cadeia

Daniele Torres é acusada de causar um acidente que matou dois americanos. Ela pagou fiança para responder o processo em liberdade, mas fugiu para o Brasil

 

da redação

A mãe, de coração partido, pela perda de sua única filha, que morreu em um acidente causada por uma brasileira, está clamando por justiça. A norte-americana Martha Wright, está revoltado com os juízes e procuradores por deixar que a acusada Daniela Torres, 24 anos, fugisse para o Brasil. “Eles deveriam ter retido o passaporte dela”, afirma.

Martha Wright procurou os veículos de comunicação norte-americanos, na semana passada, para clamar por justiça e fazer com que a culpada pela morte de sua filha pague pelo crime que aconteceu dia 21 de agosto de 2008. “Eu vou lutar até morrer para fazer justiça”, continua.

Segundo as provas apresentadas, a brasileira estava embriagada quando causou o acidente na I-95, região de Boca Raton (Florida). Em fevereiro de 2009, a brasileira se entregou para a Justiça, mas foi colocada em liberdade mediante o pagamento de uma fiança estipulada em US$50 mil. Ela também foi obrigada a se submeter a testes de drogas e álcool e ficou proibida de sair de Palm Beach.

Enquanto aguardava o julgamento em liberdade, dia 15 de agosto de 2012, ela teria retornando ao Brasil e desde então a família luta para que a Justiça dos Estados Unidos a consiga trazê-la de volta para responder pelo crime.

Depois que isso aconteceu, o Gabinete do Procurador do Condado de Palm Beach instituiu uma política para evitar que suspeitos por acidentes fatais desapareçam do país, enquanto aguardam o julgamento em liberdade, sob fiança.

Foi a partir deste casa que o Procurador Pedro Antonacci determinou que todos os promotores solicitem a retenção dos passaportes em casos de homicídio ocorridos no trânsito.

 

O CASO

No dia do acidente, por volta das 3h30, a brasileira dirigia seu veículo que chocou-se com o carro da vítima. Deborah Peterson e James Car morreram no local. Uma terceira vítima, Calvin Baggs, conseguiu sobreviver. O advogado da brasileira, Jeffrey Weiner, disse que não tem mais contato com ela.

Fonte: Brazilian Times