Publicado em 14/08/2013 as 12:00am

Global Money é proibidia de operar na Carolina do Norte

A empresa de remessas de dinheiro para o Brasil, Global Money Remittance foi proibida, permanentemente, de operar no estado da Carlonina do Norte, após uma determinação de um juiz do Condado de Wake. Em uma nota divulgada na segunda-feira (12), o Comissár

Massachusetts, Flórida e Connecticut já tomaram medidas semelhantes contra a empresa

DA REDAÇÃO

A empresa de remessas de dinheiro para o Brasil, Global Money Remittance foi proibida, permanentemente, de operar no estado da Carlonina do Norte, após uma determinação de um juiz do Condado de Wake. Em uma nota divulgada na segunda-feira (12), o Comissário de Bancos, Ray Grace, disse que a empresa não pode mais receber dinheiro e enviá-los para fora dos Estados Unidos, principalmente para o Brasil.

A decisão, segundo ele, aconteceu depois que documentos provaram que a Globa não fazia as transferências regularmente e muitos clientes estavam com problemas. "Nós não toleraremos pessoas e empresas que violam as leis da Carolina do Norte", disse Ray.

Conforme um relatório divulgado pelo comissário, a Global ganhou licença para operar como transmissora de dinheiro, principalmente para o Brasil, no ano de 2004. Com sede na Flórida, a empresa tem várias filiais espalhadas pelo país, através de representantes autorizados. Na Carolina do Norte, ela operava no Brascharlotte e Supermercado Brasileiro, ambas localizadas na cidade de Matthews.

Durante as investigações, descobriu-se que os diretores da Brascharlotte tentaram entrar em contato com a Global, sem sucesso, após algumas reclamações de clientes que tinham enviado o dinheiro, mas não chegou ao seu destino. Por isso ela decidiu cooperar com os investigadores para evitar que mais brasileiros fossem prejudicados.

Depois de juntar as provas e analisar as denúncias, o Comissário apresentou uma queixa diante do Superior Tribunal de Justiça do Condado de Wake. Em 8 de maio de 2013, o juiz Carl R. Fox emitiu uma liminar ordenando que a Global cessasse as suas atividades.

Agora, nesta semana, o Comissário informou que a empresa foi proibida permanentemente de operar com remessas de dinheiro em NC. A Brascharlotte foi condenada a liberar cerca de 19 mil dólares depositados em nome da Global para o Departamento de NC de Justiça.

O Comissário disse que uma equipe foi designada para identificar os clientes afetados. Até o fechamento desta matéria, as reclamações de clientes da Global totalizam um prejuízo de mais de US$ 70 mil (pouco mais de R$ 140 mil), em transações não efetuadas. Ou seja, a empresa pegou o dinheiro e não enviou.

Os clientes afetados que ainda não apresentaram uma queixa contra Global pode fazê-la através do site www.nccob.org/online/cts/EntitySelect.aspx até 10 de Setembro.

Connecticut, Flórida e Massachusetts também emitiram ordens proibindo as atividades da Global.

Connecticut, Flórida e Massachusetts também emitiram ordens proibindo as atividades da Global.

Fonte: Brazilian Times