Publicado em 19/08/2013 as 12:00am

Brasileiro escapa da morte em acidente de carro no Ironbound

Brasileiro escapa da morte em acidente de carro no Ironbound

O veículo dirigido pelo comerciante José Silva, natural de Gonzaga (MG), teve a frente totalmente destruída

 

da redação

Na tarde de quinta-feira (15), uma caminhonete lotada de materiais de construção ultrapassou o sinal e chocou-se violentamente contra o veículo dirigido por José Silva, popularmente conhecido como “Nôca”, natural da cidade de Gonzaga (MG), proprietário dos restaurantes Cê Qui Sabe. O acidente aconteceu aproximadamente às 4 e meia da tarde no cruzamento das ruas Chestnut e Van Buren, no bairro do Ironbound, em Newark (NJ).

Após a colisão, a caminhonete perdeu o controle e bateu em outros 3 carros estacionados ao longo da Chestnut St., no fundos do estacionamento da Igreja Nossa Sra. do Monte Carmelo, parando de lado quase na esquina com a Adams St. Ambulâncias chegaram ao local e levaram o brasileiro e mais duas vítimas ao Hospital Universitário (UMDNJ).

O motorista, aparentemente, saiu ileso e permaneceu no local do acidente, cercado de curiosos que tiravam fotos dos veículos destruídos com seus telefones celulares. Várias viaturas da polícia fecharam o cruzamento por mais de 1 hora, até que as 3 vítimas fossem recolhidas pelas ambulâncias e os 5 veículos envolvidos no acidente removidos para liberar o tráfego.

“Saí do restaurante e estava indo para casa na direção da South Street, quando ele (o motorista da caminhonete) ultrapassou o sinal vermelho. Eu só tive tempo de manobrar para a direita, senão ele teria batido na minha porta e me matado. Então, ele rodopiou, perdeu o controle e bateu em outros carros que estavam parados”, detalhou Silva, residente em Linden (NJ) à equipe de reportagem do BV.

Minutos antes, Nôca havia deixado a filial de seu restaurante na Merchant St., próximo às 5 esquinas, e seguia para casa em Linden (NJ). O seu veículo ficou com a parte dianteira completamente destruída, entretanto, ele não sofreu ferimentos mais graves.

“Quando saí do carro e vi o que tinha acontecido, de repente, me deu uma tonteira e cai no chão. O dono da ‘liquor store’ em frente ligou para a emergência”, acrescentou. “Muitas pessoas que presenciaram o acidente vieram ao meu socorro”.

Após chegar ao UMDNJ, Silva foi submetido a vários exames e ficou em observação até à meia-noite e, durante esse tempo, recebeu a visita da esposa, filhas, cunhada e amigos mais próximos.

“Fiquei até emocionado com a preocupação das pessoas. Muitos me seguraram, perguntando se eu estava bem; até na maca. Percebi que a amizade vale muito, foi emocionante”, comentou.

Nôca frisou que esse foi o primeiro acidente grave de automóvel que sofreu em sua vida e agradeceu a Deus por nada pior ter acontecido.

“Quando aconteceu isso, pensei logo em minha família e liguei assim que pude para a minha filha que estava no restaurante. Ela chorou um pouco, mas eu a expliquei que estava tudo bem”, disse Silva.

Apesar de ainda sentir dores musculares nas costas, braços, pernas e pescoço, Nôca agradeceu o carinho e preocupação demonstrados pelos amigos e funcionários dos restaurantes.

“Agradeço a todos pela atenção; foi muito comovente ver as pessoas aparecendo, interessadas em ajudar. Informaram-me que, quando eu estava no hospital, muitas pessoas compareceram lá para me ver. Obrigados a todos, tenho muito a agradecer”, concluiu.

Na sexta-feira (16), Silva retornou ao Hospital Universitário para se submeter a exames complementares. (fonte: Brazilian Voice)

Fonte: Brazilian Times