Publicado em 28/08/2013 as 12:00am

MARCHA PRÓ REFORMA

MARCHA PRÓ REFORMA

Brasileira que mora em Boston vira símbolo da luta pela reforma imigratória

 

DA REDAÇÃO

Quando os 250 mil manifestantes marcharam para Washington, em agosto de 1963, as questões levantadas foram postos de trabalho e liberdade. Agora, no sábado (24), uma multidão se reuniu para comemorar o 50º aniversário deste evento que se tornou uma referência na luta pelos direitos dos grupos minoritários nos Estados Unidos, incluindo a “Reforma Imigratória”.

Pessoas de vários países participaram desta manifestação e gritaram numa só voz a “igualdade para todos”. Mikhel Crichlow, 28 anos, é um imigrante natural de Trinidad e Tobago que vive no Brooklyn, em New York. Ele disse que todos estavam lutando pelos direitos iguais.

Durante a manifestação deste sábado, no Martin Luther King Jr. Memorial , todos os oradores falaram da importância e necessidade do Congresso aprovar uma reforma abrangente nas leis de imigração. Em 1963, o deputado John Lewis (D-Ga) disse que “não faz sentido que os milhões estejam vivendo nas sombras”.

Entre os imigrantes que participaram deste movimento de sábado, estavam muitos brasileiros. A carioca Renata Teodoro, que chegou aos Estados Unidos ainda criança trazida pelos pais, estudou as táticas do movimento dos direitos civis e as incorporou em seu próprio ativismo. Ela mora em Boston (Massachusetts) tem sido uma defensora ferrenha dos direitos dos imigrantes e se tornou um símbolo na lita pela concessão de “status” legal para os indocumentados.

Recentemente, ela protagonizou uma das cenas mais emocionantes exibidas pela imprensa dos EUA. Renata e sua mãe se encontraram no Arizona, na divisa com o México. Mas as duas estavam separadas por uma cerca que divide as duas regiões. Desta forma elas mostraram que a divisão imposta pelos legisladores está destruindo as famílias e separando pessoas que se amam e querem viver juntas.

Fonte: Brazilian Times