Publicado em 30/09/2013 as 12:00am

Brasileiro é encontrado morto dentro do banheiro de casa

Brasileiro é encontrado morto dentro do banheiro de casa

Altamiro Silva morava sozinho havia mais de dez anos, em Lafayette (Louisiana)

 

 

O corpo do brasileiro Altamiro Silva, de 55, foi encontrado em um banheiro na casa em que ele alugava um quarto, na cidade de Lafayette (Louisiana). Segundo as informações, o fato aconteceu na manhã de terça-feira (24), mas somente na quinta-feira (26) a família foi encontrada no interior de Minas Gerais para receber a notícia.

De acordo com Jauro Melo, que ajudou nas buscas dos familiares, Altamiro falava pouco sobre seus parentes e era uma pessoa de poucos amigos. "Não conseguimos nada por aqui, foi com a ajuda do Facebook que a notícia se espalhou e chegamos até a esposa e filhos", conta.

A assessoria de imprensa do Departamento de Polícia de Lafayette informou que a família hispânica com a qual Altamiro morava percebeu que a porta do banheiro estava trancada e arrombou. Quando eles entraram, o brasileiro estava morto dentro da banheira. A causa da morte ainda nao foi identificada e o resultado dos exames será divulgado nos próximos dias.

O brasileiro trabalhava como instalador de cerâmica e nem mesmo o seu empregador tinha dados pessoais sobre ele. Altamiro era constantemente visto nas poucas lojas brasileiras de Lafayette, mas como mantinha uma vida reclusa, ninguém tinha informação sobre sua família.

A polícia tentou usar o próprio telefone de Altamiro para contatar amigos e familiares, mas aparentemente ele não mantinha contato com muitas pessoas nem no Brasil e nem nos Estados Unidos. "Pessoas vêm para os EUA, moram sozinha e se isolam. Foi uma pena", conta Jauro.

"Com a ajuda do Facebook, a família em Ipatinga ficou sabendo do ocorrido, mas ainda não sabe como vai levar o corpo para o Brasil", contou Jauro Melo. De acordo com o serviço funerário público em Lafayette, o corpo do brasileiro vai ficar à disposição da família e não será enterrado como indigente. "Não enterramos sem assinatura da família, ele pode ficar aqui para sempre", afirmou o funcionário.

Fonte: Brazilian Times