Publicado em 16/10/2013 as 12:00am

Laudo diz que pastor não morreu por infecção alimentar

Laudo diz que pastor não morreu por infecção alimentar

da redação

Há cerca de duas semanas, o Brazilian Times publicou uma matéria sobre a morte do pastor Júlio Neris e que os familiares pediram um laudo, pois suspeitavam de que ele teria morrido após uma infecção por ingerir carne estragada em um restaurante na cidade de Framingham (Massachusetts). Assim que a notícia foi divulgada, o jornal foi alvo de críticas pois algumas pessoas defendem que o assunto prejudicou tal estabelecimento comercial.

Outros saíram em defesa deste noticioso afirmando que a matéria escrita foi extremamente imparcial e profissional, e não divulgou nome do restaurante, pois ainda não havia posição das autoridades sobre o assunto. O que foi escrito é que a família tinha suspeitas e todos sabem, qualquer suspeita deve levar a uma investigação. Foi justamente isso que aconteceu neste período e o restaurante foi isento de qualquer culpa da morte do pastor.

Na semana passada, o laudo médico constatou que o pastor Júlio Neris não morreu vítima de infecção alimentar. A equipe de reportagem do jornal Brazilian Times tentou conseguir uma cópia do laudo, mas a direção do hospital se negou a fornecer sob a alegação de que isso cabe apenas à família. Nem mesmo o proprietário do restaurante teve acesso ao documento. Ele apenas foi informado por um funcionário do Board of Health que o restaurante não tinha nada a ver com o assunto.

Segundo alguns funcionários do local, uma equipe de agentes do Departamento de Saúde esteve no restaurante para averiguar a situação do local e não constataram nada de irregular. "Apenas um pequenos descascado no teto e uma porta do banheiro que não fechava direito", disse uma pessoa que é amiga do proprietário e pediu para não ser identificada.

Depois que recebeu a notícia, o proprietário do local sentiu-se aliviado, "pois estava passando por um momento que não era culpa dele". Isso porque muitas pessoas tomaram atitudes precipitadas e começaram a atacar o estabelecimento e outros restaurantes brasileiros. "Isso é atitude de quem quer prejudicar as pessoas e não pensa em ajudar", disse um dos funcionários.

A equipe de reportagem tentou entrar em contato com a família de Júlio Neris para saber qual a verdadeira causa da morte, mas ninguém foi encontrado para falar.

 

Fonte: Brazilian Times