Publicado em 28/10/2013 as 12:00am

Brasileira quer voltar para EUA, mesmo que seja para prisão

Brasileira quer voltar para EUA, mesmo que seja para prisão

Ela admitiu ter enganado imigrantes e agora quer cumprir a pena numa prisão do Nebraska

 

da redação

Uma mulher declarada culpada de enganar imigrantes e tomar mais de 11 mil dólares deles disse que ficaria contente de cumprir sua sentença de um ano de prisão se os promotores americanos a ajudarem a voltar do Brasil.

Gabriela Machado enviou recentemente um e-mail para o juiz informando-lhe que se encontrava encalhada no Brasil, segundo o periódico digital Lincoln Journal Star. Ela disse que foi ao país para visitar sua mãe no hospital e por seus assuntos em ordem, mas agora seus documentos de viagem expiraram e enfrenta problemas para renová-los.

A brasileira deixou entrever que os promotores podem retirar o caso penal ou ajudá-la a conseguir algum tipo de visto especial utilizado geralmente pelos imigrantes que foram vítimas de algum delito.

O promotor do condado de Lancaster, Joe Kelly, afirmou que não pode confirmar se Gabriela Machado está no Brasil, mas assinalou que seu gabinete tentará trazê-la de novo a Lincoln para que seja detida. A ordem de detenção contra ela foi emitida quando não se apresentou à prisão em 1º de outubro.

Ela foi declarada culpada no ano passado de aproveitar-se de seu emprego em uma organização de assistência jurídica para tomar dinheiro dos imigrantes dizendo-lhes que tinham de fazer alguns pagamentos ficticios.

A brasileira trabalhou de 2006 a 2011 no Centro de Assistência Jurídica à Imigração Legal.

De acordo com os promotores, Gabriela Machado restituiu 11.335 dólares a uma dezena de mulheres às quais havia enganado ao lhes dizer que tinham de fazer alguns supostos pagamentos para solicitações de visto e honorários de advogados. A acusação menor de roubo não foi impugnada e ela foi condenada em março, mas continuava em liberdade sob fiança enquanto se resolvia sua apelação, a qual perdeu. Ela então recebeu ordem para se apresentar na prisão.

O advogado de Gabriela, defensor público de Lancaster, Shawn Elliott, não comentou sobre o caso com o Lincoln Journal Star.

 

Fonte: Brazilian Times

Top News