Publicado em 22/11/2013 as 12:00am

Brasileira faz apelo por carteira de motorista em MA

Brasileira faz apelo por carteira de motorista em MA

Valdirene Oliveira falou sobre o assunto durante uma coletiva na State House

 

Da redação

 

 “Hoje eu estou aqui… meu sonho não é ter  uma carteira de motorista para mostrar para minha vizinha. Não é para arrumar um trabalho para ganhar mais dinheiro. Isso para mim não contaria nada. Eu luto por uma carteira para eu cumprir com os compromissos da minha filha que é a coisa mais importante que eu tenho na minha vida”.

O depoimento é da cooperada e membra do Grupo Mulher Brasileira Valdirene Oliveira e foi feito nesta quarta-feira, dia 20 de novembro, na State House durante a coletiva pelo Ato Confiança (Trust Act).

Valdirene já havia testemunhado para a senadora Sonia Diaz sobre sua filha, Alicy, de seis anos que nasceu com um problema na espinha e não anda. “Ela tem terapia três vezes na semana, tem medico, tem escolar. E como eu faço?” Valdirene também contou para os políticos que ela teve de abrir mão de um tratamento importante e que ajudaria muito a desenvolver Alicy, “porque era longe”.

O projeto de lei que, se aprovado, dará o direito de imigrantes indocumentados obterem uma autorização para dirigir. O projeto está na Comissão Mixta de Transporte esperando a confirmação da data da audiência pública prevista para dia 12 de dezembro.

Se não acontecer neste dia, pode acontecer no ano que vem, mas a possibilidade de ser ouvida, discutida e aprovada diminui bastante.

            Wellington Santos, que está nos Estados Unidos há dois anos e mora em Framingham, ouviu na radio o apelo do Grupo Mulher Brasileira e fez questão de participar. Ele integrou um grupo com três norte-americanas e visitaram um “politico republicam que era contra a carteira”. Wellington não lembrava o nome do político, mas disse que ficou espantado pela falta de informação. “Ele disse que a carteira não poderia dar direito a entrar em prédio público e perguntou se poderia votar com ela”. O brasileiro achou muito bom ter visitado o gabinete deste politico “porque as mulheres o educaram e acho que no final já estava mais a favor”.

            O movimento pela carteira de motorista precisa do apoio de toda a comunidade. Se você quiser participar, fale com o Grupo Mulher Brasileira, pelo telefone 617-202-5775 ou mande e-mail para mulherbrasileira@verdeamarelo.org e curta o GMB no Facebook.

Fonte: Brazilian Times

Top News