Publicado em 29/11/2013 as 12:00am

Brasileiros assimilam cultura dos EUA sem esquecer raízes

Brasileiros assimilam cultura dos EUA sem esquecer a brasileira

Com três diferentes sinais de "boas-vindas", na porta da frente da casa, a família Almeida mostra a sua gratidão e felicidade por estar vivendo nos Estados Unidos. Eles compartilham um sentimento de liberdade e conquistas quem teve início há cerca de uma década, quando Dedeco e Ani Almeida deixou o Brasil para começar uma nova vida neste país. Uma destas conquistas, segundo mostra Dedeco, é comandar uma academia de Jiu-Jitsu na cidade de Rockland (Massachusetts). "Mas isso não existiria sem a ajuda de algumas pessoas", fala ressaltando que ama os EUA e está muito feliz em poder morar neste país. "Eu me sinto em casa. Tenho saudades do Brasil, mas quando estou lá, sinto muita falta daqui", continua. Ani, que trabalha como assistente de dentista em Rockland, disse ela deixou para trás sua família e sua carreira como uma professora de educação física, em 2004, para apoiar o objetivo do marido. A casa dos Almeida, em Weymouth, é uma mistura das culturas brasileiras e norte-americanas. Quando a família - o casal tem dois filhos, Lucas , 8, e Gabriel, 4 ? está sozinha em sua casa, só fala Português. Mas eles se recebem convidados ou se estão no trabalho ou na escola, falam fluentemente o Inglês. Em torno da casa podem ser vistas várias decorações brasileiras, incluindo um decalque na parede da sala de estar representando a famosa estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Mas existem outras decorações em homenagem à cultura norte-americanas, como os panos de prato de Ação de Graças. Até mesmo no "Thanksgiving Day", a família celebrou a festa unindo as duas culturas. Ao lado do Peru assado foi servido um delicioso arroz e feijão. Na sobremesa, Ani fez mousse de maracujá, uma receita brasileira. Dedeco e Ani disseram que estão criando os seus filhos em uma casa brasileira que é totalmente aberta às influências dos Estados Unidos. "Tentamos mostrar a eles o futebol do Brasil e o beisebol nos Estados Unidos," disse Ani, citando como exemplo. Dedeco explica que o que acontece é que maioria das pessoas se muda para os EUA é que eles ficam tão apegados ao Brasil, que se torna difícil aprender a cultura deste país. "Quando eu me mudei pra cá, recebi o conselho: você está nos EUA. Não viva neste país achando que está no Brasil", explica. Desta maneira, nos primeiros cinco anos, o casal evitou ter em casa canais brasileiros e ouvir rádios brasileiras. "Fizemos isso até que nosso primeiro filho, o Lucas, tivesse idade suficiente para ir à escola e se integrar à cultura nativa", continua. Embora ainda existam alguns ajustes que estão sendo feitos nove anos depois, Dedeco e Ani, que se tornaram cidadãos americanos em setembro de 2012, acreditam que os EUA e o Brasil compartilham os mesmos princípios que eles mais valorizam: fé, família e trabalho duro. Os Almeidas são membros da congregação brasileira na Igreja Sagrada Família, em Rockland e visitam o Brasil, pelo menos uma vez por ano para ver os familiares e amigos.

Fonte: (da redação)