Publicado em 13/12/2013 as 12:00am

Policial veterana se demite após descobrir que é indocumentada

Veterana na "State Police" do Arizona se demite após descobrir que é imigrante indocumentada

Uma detetive de polícia do Arizona pediu demissão esta semana depois que foi revelado que a sua situação imigratória nos Estados Unidos está irregular. Na quarta-feira (11), as autoridades estaduais divulgaram uma nota informando que Carmen Figueroa é uma imigrante indocumentada e que por isso não pode exercer a função de policial. Ela, que trabalhou 13 anos para o Departamento de Segurança Pública do Arizona e uma vez serviu como porta-voz da polícia, conseguiu o emprego porque havia declarado por escrito que era uma cidadã dos EUA. "Minha família sempre me disse que eu nasci neste país, mas fui enganada", explicou. Mas há alguns dias, descobriu-se que ela nasceu em Sinaloa, no México, e se mudou para os EUA quando era criança e estava vivendo ilegalmente no país. Figueroa pode ter usado uma certidão de nascimento falsa, segundo informou alguns veículos de comunicação do Arizona. Mas as autoridades disseram que ela foi enganada pela mãe. "Acreditamos na declaração e as informações que ela forneceu na época de sua contratação. Além disso, ela estava sob a influência de que era uma cidadã deste país", disse o porta-voz do Departamento de Segurança Pública, Bart Graves. Figueroa pediu demissão do cargo na segunda-feira (09), mas teria sido demitida da mesma maneira se não tivesse tomado esta decisão. Isso porque a Lei do Arizona exige que todos os agentes policiais devem ser cidadãos dos EUA. A situação imigratória de Figueroa veio à tona quando o seu irmão, um membro das forças armadas dos EUA, aplicou para obter um passaporte. Departamento de Estado descobriu que ele era um imigrante indocumentado e que tinha uma irmã policial. A partir dai foi iniciada uma investigação sobre ela. A situação imigratória dela foi confirmada pelas autoridades no dia 22 de agosto e ela foi afastada do cargo no dia 4 de setembro. Mas somente agora que foi decidido pela demissão da oficial. Ela trabalhava na patrulha das estradas, pela delegacia de Tucson, por 10 anos. Em 2010, Carmem Figueroa foi promovida à investigadora criminal.

Fonte: (da redação)