Publicado em 20/12/2013 as 12:00am

Brasileira é acusada de matar o marido a tiros

Brasileira é acusada de matar o marido a tiros

A brasileira Rosângela Spradling, de 42 anos, está sendo acusada de matar, a tiros, o próprio marido, o policial Steve Spradling, de 52 anos, no interior da residência do casal. O crime aconteceu na noite de sexta-feira, em 17 de maio desse ano, na cidade de Sterling (VA). Documentos apresentados nesta semana, pelo Tribunal, não detalham com clareza o provável motivo do homicídio, mas o detetive responsável pela prisão de Rosângela, do Condado de Loudoun, anotou no boletim de ocorrências que ela "deliberadamente" assassinou o marido com "premeditação depois de uma discussão". Aparentemente, o casal conheceu-se nos corredores do Aeroporto Internacional de Dulles, onde Steve era um policial veterano há 25 anos. Rosângela trabalhava como engraxate no terminal do aeroporto. "Eles estão bem", comentou Allen Spradling sobre os dois filhos do seu irmão, uma menina de 10 anos e um menino de 7 anos. "Na medida do possível, até esse ponto. Nós ainda estamos planejando o melhor futuro para eles". "Eu acho que todos estão mais preocupados com as crianças", disse o vizinho Grady Crittendon. "Porque Deus o livre elas terem presenciado o que aconteceu. Nós todos estamos pensando em colocar essas crianças em tratamento psicológico agora". Crittendon vive próximo à residência onde ocorreu o crime e acrescentou que as brigas do casal fez com que a polícia tenha ido ao local diversas vezes. "Eu gostaria que isso pudesse ter sido evitado no início", disse ele ao canal de TV Fox 5 News. Allen disse que seu irmão era um policial dedicado e um bom homem. Entretanto, uma vizinha, que não quis ser identificada, retratou à vítima como uma pessoa agressiva, temperamental e perigosa, especialmente, após um mal entendido envolvendo o gramado de sua casa e a do policial morto, em entrevista ao Fox 5 News. "Agora me sinto mais segura de caminhar pela vizinhança", disse ela. "Desde que eu me lembre, ele sempre trabalhou na segurança", disse Allen aos repórteres que se aglomeraram em frente à residência onde ocorreu o crime. "Parecia que era o seu primeiro emprego, no qual ele trabalhou durante 25 anos e se sucedeu bem na vida. Nós tínhamos muito orgulho pelo fato de ele trabalhar na segurança e servir a comunidade aqui. Infelizmente, nós moramos muito longe, portanto, não o víamos muito. Nós vamos sentir falta dele". Rosângela Spradling enfrenta a acusação de homicídio em primeiro grau e está detida, sem direito à fiança, no Centro de Detenções do Condado de Loudoun. Vários vizinhos comentaram a relação tempestuosa do casal ao canal de TV WUSA 9. Eles disseram que Steve tinha uma convivência volátil com os vizinhos também. Uma mulher comentou que se sente mais segura sem a presença do vizinho. "Sinto-me aliviada que ele não esteja mais aqui. Ele ameaçou a minha vida por pequenas coisas. Ele carregava muita raiva. Ambos tinha uma relação volátil. É estranho ver os sapatos dele vazios. Agora, eu posso sair e ir onde anteriormente eu não podia", disse ela. Spradling era funcionário do Metropolitan Washington Airports Authority (MWAA). O escritório do xerife do Condado de Loudoun disse que a esposa do policial o alvejou várias vezes no interior de sua residência, no 21000 Blossom Drive. O crime ocorreu aproximadamente às 9 e meia da noite. "Eu sinto muito pelas crianças que perderam a mãe e o pai. Com o passar dos anos, ele se tornou cada vez mais um alcóolatra. Ele temia que alguém bagunçasse o seu gramado. Ele ameaçou a minha vida quando ele achou que o meu cachorro fez necessidades em seu jardim. Ele disse que eu era uma mulher morta", disse uma vizinha ao canal WUSA 9. O escritório do xerife disse que ocorreram aproximadamente 6 ligações de denúncia no mesmo endereço nos últimos anos. Alguns vizinhos do casal alegaram que o crime foi justificado, entretanto, o escritório do xerife evitou comentar o caso. O MWAA emitiu o seguinte comunicado: "O Metropolitan Washington Airports Authority está profundamente triste com a perda do agente Steven Spradling, um policial do Airports Authority há mais de 25 anos. Nossas condolências aos seus entes queridos durante esse período difícil". Um grupo formado por mãe brasileiras na Virgínia busca dar assistência à Rosângela Spradling, que está detida sem direito à fiança.

Fonte: (brazilian voice)