Publicado em 8/01/2014 as 12:00am

Católicos iniciam "Semana Nacional da Imigração"

Católicos iniciam "Semana Nacional da Imigração"

A Igreja Católica dos Estados Unidos iniciou no domingo (5) a "semana nacional da imigração". A campanha tem o objetivo de pedir à Câmara de Deputados que aprove uma reforma imigratória que legalize os milhões de indocumentados que vivem no país. A campanha de sete dias realiza-se em todas as dioceses com orações, homilias e a assinatura e envio de milhares de cartões postais aos congressistas para que submetam à votação um projeto de reforma integral. No final de junho, o Senado aprovou o plano S. 744 da reforma imigratória que inclui um caminho à cidadania para indocumentados que estão no país desde antes de 31 de dezembro de 2011 e não tenham antecedentes criminais. Mas a liderança republicana da Câmara de Deputados advertiu que debateria um projeto próprio, que faria isto por partes e não garantiu a cidadania. O projeto permanece parado por falta de um acordo bipartidário prévio. A jornada A Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB) convidou os fiéis a apoiar os esforços com orações e ação com a campanha denominada "Já Não Somos Estrangeiros: Nosso Caminho da Esperança Continua". O lema corresponde a uma carta pastoral conjunta que a USCCB emitiu juntamente com a Conferência Episcopal do México em 2003. Neste documento os bispos refletiram sobre a imigração entre México e Estados Unidos como um "sinal dos tempos" que é necessária e benéfica mesmo com os desafios e as esperanças. "Os católicos têm a responsabilidade de dar as boas-vindas aos recém-chegados em nossas comunidades e paróquias, ajudá-los a integrar-se e fornecer apoio material e espiritual que lhes permita florescer," disse o arcebispoJosé Gómez, de Los Angeles, presidente do Comitê sobre Imigração da USCCB. "A Semana Nacional sobre Imigração é uma oportunidade para a Igreja lembrar e refletir sobre estas obrigações", acrescentou. Os bispos também assinalam que a finalidade da jornada é despertar a consciência sobre a situação de diversas categorias: as crianças imigrantes que são a parte mais vulnerável da imigração; os imigrantes indocumentados que "vivem nas sombras"; os refugiados e em particular os que estão nos campos; e o tráfico de seres humanos e a escravidão. Esperando uma oportunidade Nos Estados Unidos vivem 11 milhões de imigrantes sem papéis de estadia legal que aguardam uma oportunidade para legalizar suas permanências. A espera ocorre em meio a uma política de deportações nunca antes registrada no país. Durante a primeira administração do presidente Barack Obama (2009-2012), o governo quebrou quatro recordes sucessivos de expulsões com uma média anual de 400 mil pessoas (1,220 por dia). Durante o ano de 2013, o total alcançou os 368,644 deportados e destes mais de 45% não tinham antecedentes criminais. O recolhimento de assinaturas para o envio dos cartões postais é coordenado pelo Departamento de Serviços de Imigração e Refugiados da USCCB. Nos cartões os fiéis pedem aos parlamentares uma reforma imigratória que forneça um caminho à cidadania para os indocumentados, que conserve a unidade familiar como base fundamental do sistema nacional de imigração, que garanta uma via legal para imigrantes que procuram trabalhos não especializados no país, a restauração de proteções nas políticas de cumprimento das leis de imigração e que sejam abordadas as causas da imigração provocada pela perseguição e desigualdade econômica. Trabalhar juntos O bispo Gómez disse que os católicos são chamados a apoiar os esforços desta campanha. "O governo Obama e o Congresso devem trabalhar juntos em busca de leis que deem um caminho à cidadania para imigrantes indocumentados, que garanta uma via legal para os imigrantes que procuram trabalho neste país, e que as reformas do sistema permitam a reunificação familiar", destacou em um comunicado quando foi anunciada a campanha. A celebração da Semana Nacional da Imigração foi iniciada pelos bispos americanos há 25 anos, para dar aos católicos uma oportunidade de participar da diversidade de culturas nos ministérios da Igreja.A versão 2014 terminará no próximo domingo, 12 de janeiro.

Fonte: (da redação)