Publicado em 8/01/2014 as 12:00am

Irmã de brasileira assassinada nos EUA fala ao BT

Irmã de brasileira assassinada nos EUA fala ao BT

Em uma entrevista bastante emocionada, Mara Barbosa Vinhal, conversou com a equipe de reportagem do jornal Brazilian Times. Ela é irmã de Thelma Vinha, que foi assassinada ao lado do namorado Euclides Guinato Bernardes. O crime aconteceu no dia 22 de dezembro e foi cometido pelo ex-marido da vítima, Péricles Moura, na cidade de Marietta, na Georgia. Mara, que mora no Brasil em Nerópolis (Minas Gerais) conta que tinha contato todos os dias com a sua irmã. "Ela me criou e devo muito por isso", fala ainda abalada com o acontecido. "É difícil aceitar e acredito que a ficha só vai cair quando eu ver o corpo dela diante de mim", continua. Thelma foi casada durante oito anos com Péricles e a separação aconteceu quando o casal já estava morando nos Estados Unidos. "O problema é que ele não aceitou isso e começou ameaça-la caso não reatasse o relacionamento", explica. Mara conta que a irmã relatou, várias vezes, as ameaças de morte feitas pelo ex-marido. "Ele teria dito que se não voltasse para ele até o final do ano, ele iria matá-la junto com o namorado e se suicidar", conta. Ainda segundo a irmã, Thelma teria relatado que Péricles ligava todos os dias para ela e a seguia o dia todo. "Ele já chegou a apontar uma arma", continua. Indagada sobre o porquê a irmã não denunciou as ameaças para a polícia, Mara conta que Péricles teria dito que "se ela o denunciasse e ele fosse deportado, iria fazer algo com os seus parentes no Brasil". Thelma não tinha coragem de fazer a denúncia temendo pelos irmãos e pela irmã. "Todos os dias ela me ligava para saber se eu estava bem e se nada aconteceu", continua. A mãe de Thelma é que está cuidando dos trâmites legais para a liberação do corpo. Alguns amigos se uniram para ajudar na arrecadação do dinheiro para custear as despesas funerais e o translado. "O custo é muito alto e nossa família não dispõe deste dinheiro no momento", explica. O assassinato aconteceu no apartamento da mãe da vítima, a qual ainda está traumatizada e não consegue voltar para o local. Ela trabalhava na área de comida e não tem condições para continuar. Devido a isso precisa contar com a ajuda das pessoas para sobreviver. Segundo Mara, a vítima tinha uma filha de cinco anos com o acusado e o crime foi cometido diante dela. "Minha sobrinha viu tudo que aconteceu. Imagina como está a cabeça dela agora?", indaga. Além das despesas de funeral e translado, uma das preocupações da família é pagar a limpeza do apartamento que ficou em US$3,500.00 (cerca de R$ 8.300,00). "Foi preciso retirar todo o sangue do local, além de outras coisas", explica Mara. O corpo ainda não foi liberado, mas segundo Mara assim que isso acontecer, ele seguirá para Brasília e depois para Nerópolis, cidade natal de Thelma. "Nós pagaremos uma agência funerária para buscar na capital do país", continua. Em relação à sua mãe, ela não sabe precisar qual será o destino, pois é preciso concluir o processo para conseguir a guarda das meninas. Além da filha que Thelma tinha com Péricles, ela tinha mais uma filha de outro relacionamento, que morava com ela também. Uma página foi aberta para arrecadar o dinheiro necessário para custear as despesas. Quem quiser ajudar é só acessar www.gofundme.com/Thelma-Vinhal-Funeral e fazer uma doação.

Fonte: (Luciano Sodré)