Publicado em 13/01/2014 as 12:00am

Pastor se arrepende de ajudar Devair Lucas e pede perdão

Pastor José de Souza se arrepende de ajudas a Devair Lucas e pede perdão a vítimas

Por Beto Moraes Terminar o ano com as contas ajustadas. Essa seria a expressão correta para justificar os pedidos de perdão feitos nas últimas três semanas pelo pastor José de Souza (Igreja Assembleia de Deus Salvação da Graça) a vítimas do estelionatário Devair Lucas a quem esteve diretamente ligado até o fim do ano passado. Lucas é acusado de uma série de crimes no Brasil e em Boston, onde se tornou conhecido entre os brasileiros por manter um site (www.ahoradaverdade.com) que hospedava denúncias falsas contra pastores e pessoas ligadas a igrejas. Em visitas pessoais, o pastor José de Souza começou uma extensa lista de pedidos de perdão. "Admito que muitas pessoas foram prejudicadas porque acreditei nas mentiras do senhor Devair Lucas", afirmou o líder da Igreja Assembleia de Deus Salvação da Graça, de Everett. Os pedidos de perdão começaram justamente no local onde Devair Lucas promoveu mais desavenças, a Igreja Assembleia de Deus Filadelfia, de Marlboro. Lá, munido de todo cuidado com as palavras, o pastor José de Souza pediu perdão em duas etapas. Na primeira, durante uma reunião à tarde com a cúpula da igreja, incluindo pastores e evangelistas; na segunda, à noite, diante dos membros da igreja onde reforçou as palavras de arrependimento com perdões públicos ao pastor Eduardo Sampaio e ao evangelista Wellington Reis. Reis talvez tenha sido a maior vítima de Lucas. Ele foi extorquido em mais de $ 30 mil pelo bandido que ameaçava matar sua família no interior de Minas Gerais. Assustado, o evangelista pagou ao bandido uma espécie de resgate para manter seus pais vivos e no documento assinado por ele e Devair Lucas - na ocasião do complemento do golpe - havia duas testemunhas: Gleudes da Silva e o pastor José de Souza. Logo após pagar o valor acordado, Devair voltou a pedir dinheiro. A extorsão só parou quando a polícia de Framigham foi acionada e uma ordem judicial foi emitida para que Devair Lucas não se aproximasse mais de Reis. No início deste ano o bandido desobedeceu a ordem e foi preso. A tática de ameaças às famílias das vítimas no Brasil se estendeu também aos parentes do pastor Eduardo Sampaio. Em carta direcionada ao jornalista Beto Moraes na quarta-feira, 18, José de Souza admite os erros. "Errei, se pudesse voltar atrás para desfazer as ajudas que prestei ao Devair Lucas com suas mentiras eu o faria. Mas não posso. Necessito pedir perdão aos pastores, membros de igrejas e suas famílias pelas inverdades ditas pelo senhor Devair Lucas com a minha autorização", afirmou. Na carta, o pastor fala diretamente das pessoas mais prejudicadas: os pastores Eduardo Sampaio, Ivan Silva, Ouriel de Jesus e o evangelista Wellington Reis. Nesta sequência de perdões, José de Souza esteve pessoalmente na casa do pastor Ouriel de Jesus, um dos mais conhecidos e renomados pastores brasileiros nos Estados Unidos. "Precisava do perdão dele e, assim, colocar uma pedra em cima dessa história. Numa guerra sempre há muitos feridos", completou. Segundo o pastor José de Souza, Devair Lucas não está mais nos Estados Unidos. Pessoas ligadas ao bandido afirmam que ele teria fugido para o Brasil para evitar uma condenação no país onde vinha respondendo a vários processos. Em tempo: Não há nenhum registro legal que comprove a saída dele do país. O súbito arrependimento do pastor José de Souza "vem" - como afirma ? "junto com a necessidade de paz que ele precisa". E completa: "Muita gente inocente sofreu com essas histórias." O ápice da mudança do pastor José de Souza foi testemunhado pelos membros de sua própria igreja em Everett na quinta-feira, 19. Ele convidou o evangelista Wellington Reis para pregar na igreja e o apresentou com um pedido de perdão público. "Os homens erram mas precisam saber voltar atrás. Eu errei com este homem e prejudiquei a ele e sua família. Por isso, meus irmãos, peço a Wellington Reis, mais uma vez, perdão", disse José de Souza. Comovido, depois de vários anos de sofrimento com as calúnias e extorsões, Wellington Reis fez uma pregação histórica na Igreja Assembleia de Deus Salvação da Graça.

Fonte: (Beto Moraes)