Publicado em 17/01/2014 as 12:00am

Boehner revela prioridades sobre a reforma imigratória

Boehner elabora uma lista de princípios sobre a reforma imigratória

Citando fontes anônimas do gabinete de Boehner, o diário La Opinión, de Los Angeles, disse que o líder republicano se reuniu esta semana a portas fechadas com membros de seu partido a quem expressou seu interesse em discutir os pontos que, a seu ver, devem ser incluídos na reforma imigratória. O debate sobre a reforma está parado na Câmara dos Deputados desde o final de junho, quando o Senado aprovou o plano S. 744 que inclui um caminho à cidadania para os indocumentados que estão no país antes de 31 de dezembro de 2011 e não tenham antecedentes criminais. Antes da aprovação do projeto, que contou com apoio bipartidário, Boehner advertiu que a Câmara debateria sua própria iniciativa e que faria isto por partes. Também lembrou a vigência da Regra Hastert, que só permite o envio ao plenário daquelas propostas que tenham o respaldo da maioria da maioria (118 dos 234 votos republicanos). Declaração de princípios A fonte anônima citada pelo jornal revelou também que o documento não se trata "dos princípios de Boehner", mas, sim, de um esforço cooperativo dos líderes republicanos da Câmara de Deputados. Entre as contribuições estão as recomendações do presidente do Comitê Judiciário, o legislador republicano Bob Goodlatte, que, assim como Boehner, apóia o debate de uma reforma imigratória por partes, com ênfase na segurança da fronteira. O anúncio da lista de princípios de Boehner tornou-se conhecido pouco depois das declarações do porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, o qual reiterou que o presidente Barack Obama insiste em que a reforma imigratória deve ser integral e incluir um caminho para a cidadania aos indocumentados. "Este é um problema global que precisa de uma solução integral. A única maneira de avançar nisto é avançar em tudo. E isto inclui uma maior segurança na fronteira (...) Inclui medidas para enfrentar e proporcionar um caminho de acesso à cidadania para os 11 milhões de indocumentados aqui". Nem todos estão de acordo O anúncio sobre a reunião de Boehner contrastou com as declarações do deputado republicano Steve King (Iowa), que se opõe a uma reforma das leis de imigração. King destacou que será um "erro colossal" se a Câmara de Deputados submeter à análise uma medida sobre este tema este ano. Ele falou depois de uma reunião a portas fechadas dos republicanos da Câmara de Deputados na qual Boehner disse aos assistentes que logo apresentará um esboço sobre os princípios de seu partido em relação aos imigrantes. A opinião de King reflete que os republicanos não estão unidos em torno do tema e tampouco em relação à estratégia adotada por Boehner desde junho, pouco antes de o Senado aprovar ao projeto S. 744. King é um ferrenho opositor à reforma imigratória e é contra o fato de os indocumentados se converterem em residentes permanentes ou cidadãos americanos.

Fonte: (da redação)