Publicado em 24/01/2014 as 12:00am

Brasileiro é convidado para discurso de Obama

Brasileiro é convidado por Senador para participar do discurso de Obama

Por Luciano Sodré Convidado para o discurso da "União" feito pelo presidente Barack Obama, que este ano acontecerá no dia 28 deste mês, o Senador pelo estado de Connecticut, Jim Himes, intensificou o seu empenho em prol da Reforma Imigratória nos Estados Unidos. Ele foi coordenador de um grupo que defendia os estudantes que vivem ilegalmente no país. Himes anunciou o convite nesta quarta-feira (22), feito pela assessoria do presidente Obama. O senador ressaltou, ainda, que levará como seu convidado, o brasileiro Lucas Codognolla, coordenador de um grupo de estudantes em Connecticut que luta pelos estudantes indocumentados. O grupo, liderado pelo brasileiro, depois de conseguir a aprovação do "in-state tuition" em CT, agora pressiona por ajuda financeira aos estudantes indocumentados e faz campanha contra as deportações. O brasileiro, que é natural de Poços de Caldas (Minas Gerais), trabalha como assistente jurídico de um advogado e formou-se recentemente pela Universidade de Connecticut. "Ele sempre se destacou como estudante", segundo informou o senador no momento em que anunciou o nome de Lucas como convidado. Ao explicar a sua escolha pelo nome do mineiro, o senador disse que "a história de Lucas passará uma mensagem muito importante para o Congresso e para o povo americano de que não há nenhuma razão para temer a reforma nas leis de imigração". Himes ressaltou, ainda, que será uma grande oportunidade para tornar o país um pouco mais humano. "Eu acho que o brasileiro simboliza esta luta por um futuro melhor", continuou o político. Em uma entrevista ao Brazilian Times, Lucas falou de sua emoção ao saber do convite e contou como tudo aconteceu. Ele explica estava em uma reunião sobre a reforma imigratória, na semana passada, quando o Senador ligou em seu celular. "Eu vi uma chamada vinda de Washington e ouvi a mensagem de voz, na qual o político pediu o retorno da ligação e deixou o número do próprio telefone celular", disse. Lucas, que chegou aos Estados Unidos em 2000, quando ainda tinha nove anos de idade, conta que ao retornar a ligação, ficou bastante surpreso e sem ação no momento em que soube que o Senador o estava convidado para ir ao discurso de Obama. "Ele pediu para que eu não contasse para ninguém, mas eu não consegui segurar a alegria e contei para os meus pais", fala. O mineiro ainda não conseguiu se legalizar, mas espera respostas da aplicação que fez através do Deferred Action for Childhood Arrivals (DACA), que abre caminho para legalização dos jovens que chagaram aos EUA antes dos 15 anos de idade e há mais de 10 anos ele mora na cidade de Stamford (CT). "Meus pais também continuam indocumentados e nossa organização luta, também, pelas famílias dos estudantes", continua. Lucas, que se formou em Ciências Políticas em dezembro passado, fala que devido ser um estudante indocumentado, teve muita dificuldade de seguir com os estudos, mas sua garra e determinação não permitiram que ele desanimasse. "Tinha que trabalhar muito para pagar os estudos e me dedicava para conseguir bolas de estudos provadas", lembra emocionado. O mineiro pensa em cursar uma escola de Direito, com mestrado em imigração. Ele conta que existem muitos jovens indocumentados que precisam de ajuda. "Vou sempre lutar pela nossa comunidade e tentar fazer o melhor por aqueles que ainda não conseguiram se legalizar neste país", disse. O DISCURSO Apesar de não ter recebido a programação por parte da assessoria de Himes, a chegada de Lucas a Washington está prevista para a manhã de terça-feira (28). O discurso de Obama será às 8:00 p.m. deste mesmo dia. "Eu irei para o escritório do Senador e vamos passar o dia juntos, caminhando pela cidade e cumprindo um agenda que ainda não me foi entregue", explica. Lucas disse que ainda não sabe se ficarão próximos ao presidente, mas espera poder chegar perto para falar um oi. "Acredito que só pelo fato de estar nas mesmas dependências do presidente dos Estados Unidos e a convite de um senador deste país, já é uma grande recompensa pelos meus trabalhos", explica. REFORMA IMIGRATÓRIA Em relação a aprovação de uma Reforma Imigratória este ano, Lucas acredita que algo vai acontecer. "O que não sabemos é que se vai ser uma reforma abrangente ou leis restritas a grupos de imigrantes, como o dream act", fala. Lucas ressalta a necessidade de intensificar a pressão pela aprovação de uma ampla reforma, semelhante ao projeto aprovado pelo Senado em meados do ano passado. "Se ficarmos parados, os legisladores criarão leis que eles acham boas e não as que precisamos", continua.

Fonte: (da redação)