Publicado em 27/01/2014 as 12:00am

Brasileira é usada para sensibilizar legisladores em MA

História de brasileira é usada para sensibilizar legisladores em MA

O maior grupo de defesa dos imigrantes na região da New England mais uma vez pressiona os legisladores de Massachusetts para aprovar um projeto de lei que permita que os imigrantes indocumentados possam obter a "Driver´s License". Atualmente, a lei de Massachusetts exige que o candidato à Carteira de Motorista apresente um comprovante de que está em situação regular nos Estados Unidos. Em um comunicado, o Massachusetts Immigrant and Refugee Advocacy Coalition (MIRA) afirmou que a liberação deste documento, "tornaria as estradas mais seguras, pois os imigrantes dirigiriam sem tanta preocupação e medo, além de todos serem treinados e licenciados para conduzir um veículo motorizado". Os defensores deste projeto, que será discutido no início de fevereiro, dizem que outro benefício será para os trabalhadores que não moram perto de transportes públicos e temem dirigir sem o documento. "Os imigrantes também teriam melhores condições para levar seus filhos às escolas e hospitais". A discussão deste projeto acontecerá no dia 5 de fevereiro e os diretores da MIRA estão convocando todos os imigrantes e simpatizantes ao projeto para estarem presentes neste dia. A ideia é que um grande número de pessoas possa sensibilizar e pressionar os legisladores a seguirem com o projeto. Atualmente nos EUA, os estados que já liberam carteira de motoristas para imigrantes indocumentados são: Illinois, Maryland, Puerto Rico, Califórnia, Washington, Oregon, Nevada, Utah, Colorado, Washington, DC e Novo México. Uma brasileira Uma petição online para reunir assinaturas conta a história de Valdirene Oliveira, uma imigrante brasileira que chegou aos EUA há 10 anos e agora é mãe de uma filha de 7 anos que nunca foi capaz de andar porque sofre de um problema na espinha ? uma doença em que o canal espinha e a coluna vertebral não se fecham. "Eu preciso de uma carteira de motorista para levar minha filha ao médico, à escola e à sua fisioterapia. No entanto, não posso obter um por causa da minha situação imigratória", disse ela na petição. "Todos os dias eu enfrento um dilema terrível: é mais importante que a minha filha receba o tratamento médico que ela precisa ou que eu não correr o risco de ser presa por dirigir sem carteira e tirado de perto dela através da deportação?", continua. A petição, que tem o apoio da MIRA, foi assinada por cerca de 1.800 pessoas no sábado.

Fonte: (da redação)