Publicado em 10/02/2014 as 12:00am

Professor diz que Educação no Brasil é melhor que nos EUA

Acadêmico de MA afirma que escolas americanas tem 'muito o que aprender' com o Brasil

Em editorial publicado no jornal Metro West Daily News, o acadêmico Michael Kryzanek afirmou que em recente visita ao Brasil, descobriu que o sistema educacional brasileiro é mais eficiente porque ‘o governo investe em educação superior e existe um acesso mais fácil a alunos que tem os requisitos necessários para o ensino superior’.

Professor e diretor-executivo do Minnock Center for International Engagement na Bridgewater State University, localizada em Massachusetts, o acadêmico escreveu um artigo de impressões sobre sua visita à universidades do país, intitulado ‘ O que os EUA podem aprender com o Brasil’, e não economizou críticas e comparações com o sistema em vigência nos EUA. “Eu visitei a cidade de Florianópolis, capital do estado de Santa Catarina, onde viajei para conhecer a Universidade Estadual de Santa Catarina. Descobri que os estudantes não pagam mensalidade, porque o governo valoriza a educação como um meio de desenvolvimento nacional e de mobilidade social e econômica, direcionando seus recursos orçamentários para o ensino superior, contribuindo para o fácil acesso de alunos que se tem os pré-requisitos de entrada. Em Massachusetts, a dívida média de estudante é de cerca de $30.000, o que contribui para uma dívida nacional que está na faixa de trilhões de dólares, causando enormes problemas financeiros para os alunos.  Eu me pergunto porque não podemos pelo menos diminuir os custos e mensalidades para os nossos alunos aqui no nosso estado” afirmou Michael, em tom de desabafo.

Embora crítico acerca das dificuldades de acesso à educação superior nos EUA, o acadêmico pontuou positivamente a parceria econômica e acadêmica que Massachusetts iniciou com o Brasil há alguns anos. “Desde a missão comercial e desenvolvimento do governador Deval Patrick há alguns anos atrás, a universidade de Bridgewater tem reconhecido a importância da parceria com uma universidade brasileira, que tem o propósito de proporcionar aos nossos alunos uma experiência global e desenvolver uma estreita colaboração com professores e funcionários em projetos de pesquisa e desenvolvimento do programa” disse ele.

Ele também exaltou o legado de imigração no Brasil, fazendo um paralelo com os EUA. “No caminho de volta para Florianópolis, paramos em uma cidade chamada Blumenau, que era o centro de imigração alemã para o Brasil. Assim como os Estados Unidos, o Brasil é um país de imigrantes” afirmou ele, em editorial que dá um clima positivo ao Brasil em meio a tantas críticas de organização alguns meses antes do início da Copa do Mundo.

Fonte: (da redaca)