Publicado em 24/02/2014 as 12:00am

Robôs de MA chegam ao Brasil para a Copa

Robôs de Massachusetts chegam ao Brasil para a Copa do Mundo

O governo brasileiro encomendou 30 robôs militares do tipo Packbot por 7,2 milhões de dólares para a segurança da Copa do Mundo. As unidades ficarão operando nas 12 cidades-sedes da disputa. O pequeno Packbot foi criado pela iRobot, empresa situada em Bedford, MA.

 

O Robô estreou suas atividades durante a ocupação militar do Afeganistão, em 2002. O robô foi projetado para investigarbunkers, cavernas, prédios em ruínas e cruzar campos minados. Desde então, centenas de unidades já foram utilizadas em situações de conflito, inclusive em guerra urbana e investigação de veículos. O Packbot também foi o primeiro robô controlado remotamente a entrar na usina nuclear de Fukushima depois do desastre de 2011.

Os robôs 510 PackBot são equipados com câmeras e operam por controle remoto. Possuem também um braço mecânico que pode manejar objetos próximos. Com todo o aparato, cada máquina pesa 24 quilos e pode ser ligada em dois minutos.

Seu uso mais frequente é na análise de possíveis bombas, desarme de explosivos, busca e vigilância, resgate de reféns e outras atividades de risco. A esteira pela qual o robô se move lhe permite subir escadas, rampas de até 60 graus de inclinação e andar sobre rochas. A máquina pode chegar a 9km/h e funciona sob quase um metro de água.

Os robots integrarão o aparato tecnológico de segurança do governo brasileiro a ser utilizado na Copa do Mundo. Já foram adquiridas câmeras com capacidade de reconhecer até 400 rostos por segundo e armazenar as imagens em um banco de dados de 13 milhões de faces. O país também anunciou, em fevereiro, a compra de quatro veículos aéreos não tripulados (drones) israelenses por US$ 25 milhões, que serão utilizados já na Copa das Confederações e ficarão a cargo do Exército. Os equipamentos serão utilizados pelos cerca de quatro mil homens de segurança de cada cidade-sede.

O governo federal prevê investir R$ 1,879 bilhão para que nada de grave aconteça no país durante o evento. Deste total, R$ 164,5 milhões serão gastos em equipamentos e sistemas e R$ 682 milhões, em sistemas para centralização das operações, de acordo com o Grupo Executivo da Copa do Mundo.

Durante a Copa do Mundo, o Packbot será utilizado para examinar objetos suspeitos. Pesando menos de 20 quilos, o robô pode ser transportado em uma mochila e montado em qualquer lugar menos de dois minutos. Apesar do peso e do tamanho, é considerado um robô bastante resistente, criado para situações extremas.

 

Fonte: (da redação)