Publicado em 17/03/2014 as 12:00am

Atriz Fabiana Karla fala ao BT sobre apresentações em MA

Atriz e comediante Fabiana Karla fala ao BT sobre apresentações em Massachusetts

Nos dias 21 e 28 de Março na prefeitura de Framingham (Nevins Hall), a  atriz Fabiana Karla que vivia Percéfone na novela “Amor à Vida”,estará interpretando Lucicreide  em uma peça de teatro com muita comédia e descontração.  A personagem ira se encontrar trabalhando em uma pensão, onde a dona do pensionato também tem um “schedule” de limpeza e tentará se aproveitar da recém-chegada do Brasil. Fabiana Karla dividirá o palco com os talentosos atores de nossa comunidade: Robson Lemos, Claudia Beleli, Leandro Oliveira, Juliene Farias e Rafael Vicente. O texto é de Robson Lemos, Produção de Claudia Beleli e Leo Tatara, Colaboração de Vitor Moy e Chico Amorin e direção geral de Leo Tatara. Mais informações  e ingressos pelo site:  www.lucicreide.com.

 

A atriz deu uma entrevista exclusiva ao BT, onde falou da sua relação com a comédia, expectativas sobre os shows nos EUA e o lançamento do livro "O rapto do Galo".

 

 

 

1 – Você tem experiência tanto com teatro quanto com televisão. Qual dos dois você se sente mais confortável e satisfeita como comediante ?


Gosto de fazer os dois. Aliás, os 3! Pois adoro fazer cimema também, e cada gênero tem seus encantos e sua dimensão com o público. Seria injusto escolher um deles, pois seria a mesma coisa que responder de ‘qual dos meus filhos eu gosto mais’ (Risos).

2- Os EUA ajudaram a popularizar o chamado ‘stand up comedy’ que está ganhando força no Brasil. O que você acha do gênero? Você faria ou já teve alguma boa experiência com esse estilo de comédia?


Acho inteligente e corajoso, salvo alguns que apelam demais para o palavrão, artifício esse que não me agrada e é pouco inteligente. Mas já tentei por várias vezes ensaiar algum pra mim, pois quando estou contando minhas histórias, os amigos sempre me encorajam a criar o meu ‘Stand Up’  pois se divertem com os temas. Penso no caso,mas desisto no meio do caminho sempre, não me sinto segura sendo Fabiana Karla, acho que meus personagens me protegem do ridículo. Isso é ruim! Acabo perdendo muito dinheiro porque não tenho meu ‘Stand Up’!


 
3 – Você se enxerga mais como atriz ou como comediante ? Acha que as comediantes mulheres estão ganhando mais espaço no Brasil ? 


Sempre me ví atriz pois dá pra interpretar qualquer gênero. O que gosto de fazer é interpretar! Seja drama, comédia... O que me fascina é o personagem, a história, o novo desafio...Acredito que realmente as mulheres estão se destacando no mercado, mas acaba ficando equilibrado, temos ótimos colegas que sabem fazer ‘Stand up’, e acredito que ainda tem poucas mulheres nessa área. Acaba ficando equilibrado.


 4- Você fará shows para uma comunidade brasileira que, apesar de antenada no que está ocorrendo no Brasil, vive uma outra realidade, bem diferente do Brasil. Você vai adaptar o seu show com temas que se relacionam mais com os brasileiros que vivem no exterior ou vai seguir o roteiro que vem seguindo nos shows do Brasil ? 


Não é a primeira vez que faço apresentações para comunidades brasileiras nos EUA, acho que é uma oportunidade de fazer minha arte atravessar fronteiras e de acarinhar os brasileiros que estão longe de casa. Todas as vezes que acaba o espetáculo e chega o momento das fotos, eu fico muito emocionada pois os abraços parecem de parentes que não vejo há tempos, cheios de saudades. Eles me sentem como um pedacinho do Brasil e isso me toca muito. Costumo modificar algumas coisas para chegar mais próximo da realidade de cada lugar. Mesmo no Brasil faço isso quando levo o espetáculo de uma região para outra, acho que é importante fazer o público se identificar no caso da comédia. Com certeza, o público irá se divertir muito, e eu também!!


 5 – Fale um pouco do lançamento do seu livro  e do convite do Consulado de Boston para lança-lo aqui nos EUA.


Desta vez a minha ida aos EUA tem um sabor mais que especial, pois fui convidada pelo Consulado Geral em Boston para lançar meu livro para as crianças brasileiras. É uma oportunidade de fazer com que estes ‘pequeninos’ não percam sua identidade brasileira e certamente o livro será um grande aliado nesse sentido. Com o título de "O rapto do Galo"(Ed.Rocco), é um livro de fácil leitura, pois é todo rimado, um tipo de "Cordel Contemporâneo",e as xilogravuras e ilustrações da premiada Rosinha Campos(Prêmio Jabuti) conseguem recriar as cores do carnaval Pernambucano.


O livro conta a história do dia em que raptaram o "Galo da Madrugada" às vésperas do seu desfile, que abre o carnaval Pernambucano.-"Sem o galo,não há carnaval!!"- E saem todos os personagens, ícones do folclore pernambucano (Passistas de frevo, caboclinhos, la ursa), todos à procura do galo! Um livro para todas as idades.Espero que gostem!  Boa leitura e vejo todos nos shows em Framingham!

Fonte: (da redação)