Publicado em 18/03/2014 as 12:00am

Ceni faz duras cobranças, pede ingressos baratos e cogita greve

Ceni faz duras cobranças, pede ingressos baratos e cogita greve


Rogério Ceni foi duro nas críticas e cobranças que fez durante a apresentação da proposta do novo calendário do futebol brasileiro feita pelo Bom Senso, nesta segunda-feira, durante seminário em São Paulo. Ao lado de Alex, do Coritiba, Juan, do Inter, e Rafael Silva, do Nacional-MG, o goleiro do São Paulo dominou o microfone durante o evento, pediu ingressos mais baratos, exigiu maior envolvimento de dirigentes e políticos para mudar o esporte no país e voltou a falar em greve:

- Infelizmente, se precisar parar, deverá ser feito - afirmou. 

Ceni cobrou medidas urgentes e foi duro nas críticas que fez a dirigentes e políticos ligados ao futebol. 

- O ingresso tem de ser barato, e o governo precisa estar comprometido, porque o futebol emprega em torno de 15 mil atletas, que levam entretenimento a quem está em frente à televisão. Tem de reconhecer o valor de quem investe no futebol e respeitar as datas daqueles que pagam por isso. O ingresso tem de custar barato, porque a receita do clube é muito pequena vinda dos ingressos. Precisamos aprender que o futebol é um esporte popular, de massa. Tem de haver comprometimento dos dirigentes.

Ceni pressionou também a CBF e o Ministério do Esporte para conseguir tirar do papel as ideias do Bom Senso. Na proposta do grupo formado pelos jogadores, os clubes terão de se adequar ao “Fair Play Financeiro”, já existente na Europa. No calendário, os times de menor expressão passariam a atuar mais vezes no ano, diminuindo o número de partidas dos considerados grandes. Além disso, seria criada a Série E do Campeonato Brasileiro.

Fonte: (g1)