Publicado em 19/03/2014 as 12:00am

Fla joga contra escritas do Bolívar na altitude

Para evitar novo trauma, Fla joga contra escritas do Bolívar na altitude


A Taça Libertadores tem sido uma repetição de traumas para o Flamengo. Desde 2002, quando quebrou uma série de nove anos sem disputar a competição, até agora, o time acumula eliminações que deixam marcas. Por isso, o confronto com o Bolívar, em La Paz, nesta quarta-feira, às 22h (de Brasília) a 3.600m de altitude, tem ar de decisão contra uma nova decepção.

Ainda que esteja na fase de grupos, o Flamengo vive uma situação delicada. Em caso de derrota nesta quarta-feira, pode cair para a lanterna do Grupo 7, faltando duas rodadas e com um jogo fora de casa a fazer contra o Emelec-EQU. No momento, o time está em segundo lugar, com quatro pontos.

Em 2002 e 2012, o Flamengo foi eliminado na primeira fase da competição. Em 2007, caiu no Maracanã, nas oitavas, mesmo vencendo por 2 a 0 o Defensor. No ano seguinte, a tragédia diante do América-MEX, com uma derrota por 3 a 0, no Rio, também nas oitavas. Contra a Universidad de Chile, em 2010, nas quartas, o nascimento de um carrasco chamado Montillo, que nem a vitória no Chile foi capaz de apagar.

Contra o Flamengo, há ainda o fato de o Bolívar ter perdido apenas uma vez em 11 jogos em La Paz para adversários brasileiros em Libertadores: 2 a 1 para o Grêmio, em 1983. Além disso, o técnico Xabier Azkargorta, que estreou à frente do time no empate com o Flamengo, também comanda a seleção da Bolívia e não perde há 21 anos na cidade, ou nove jogos, com direito a vitória por 2 a 0 sobre o Brasil em 1993.

Fonte: (g1)