Publicado em 31/03/2014 as 12:00am

Maioria das deportações foi dos que reentraram

Estudo revela que a maioria das deportações foi dos que reentraram ilegalmente nos EUA

O crescimento descomunal no número de pessoas condenadas em cortes federais tem acontecido nas últimas duas décadas por causa de um crime particular: a reentrada ilegal nos Estados Unidos, de acordo com a análise de relatórios do United States Sentencing Commission (USSC), feita pelo Pew Research Center.

Entre 1992 e 2012, o número de sentenças em cortes federais mais que dobrou, aumentando o número de casos de 36.564 para 75.867. Ao mesmo tempo, o número de condenações pela reentrada nos EUA foi de 690, em 1992, para 19.463, em 2012.

O aumento somente das condenações por reentrada ilegal quase que dobrou, com um crescimento de 48% do número total das sentenças em cortes federais naquele período. Em contraste, o segundo número de maior crescimento de condenações foi relacionado a drogas, com 22% de crescimento.

Imigrantes condenados pela reentrada ilegal no país – um crime federal – são aqueles que tentaram entrar ilegalmente mais de uma vez. Muitas vezes, fizeram isso depois de serem oficialmente deportados, muitos deles tendo sido presos no momento de entrada no país, pegos pelo U.S. Boarder Patrol.

Conforme reentradas ilegais aumentaram, a composição demográfica dos condenados mudou. Em 1992, latinos eram 23% dos condenados, em 2012, o mesmo grupo chegou a 48%. No mesmo período, o número de criminosos que não tinham a cidadania americana foi de 22% para 46%. Entre as pessoas condenadas por crimes em 1992, 12% eram imigrantes indocumentados, enquanto em 2012 o número chegou a 40%.

Aproximadamente todos aqueles sentenciados pela reentrada ilegal em cortes federais receberam tempo de prisão como sentença, ficando presos aproximadamente por dois anos. Conforme o número de pessoas condenadas em cortes federais aumentou, o mesmo aconteceu com o número de imigrantes condenados a crimes em prisões federais. Entre 1998 e 2010, o aumento no número de imigrantes presos foi de 56%.

De acordo com o relatório, os dados analisados não incluem casos civis de imigração, ouvidos por cortes de imigração em todo o país, mas somente os que lidam com crimes federais, como a reentrada nos Estados Unidos.

 

Fonte: GAZETA NEWS