Publicado em 14/04/2014 as 12:00am

Líder da Telexfree esclarece mudanças em contas

Líder da Telexfree esclarece dúvidas quanto às mudanças no sistema de contas

Por Kátia Carvalho

Após a invasão à sede da empresa de marketing multinível, Telexfree, em Marlborough – MA, no início deste mês, o líder associado a empresa, Carlinhos Reis, conversou com o Brazilian Times para esclarecer o corrido e explicar as novas regras da empresa. O protesto aconteceu devido à mudanças recém-anunciadas no sistema de contas, o que dificultou a retirada dos ganhos dos associados.

Carlinhos conta que, no dia 09 de março, ocorreu uma convenção em Boston (MA), que reuniu líderes da Telexfree para informar mudanças no sistema de aquisição de novos pacotes da companhia. Para ser membro da empresa, hoje é necessária a inscrição através do seu website, o pagamento da taxa de manuntenção de um website individual por 30 dias ($ 19,90) e também o pagamento da taxa de adesão ao sistema ($149,90). O próximo passo é a alteração do status para divulgador, que para isto, o novo membro deverá ficar abaixo de um outro divulgador. No plano anterior, ao entrar na empresa, o pacote já era pré-estabelecido. No atual, o divulgador decide quantos pacotes ele deseja comprar.

Por determinação dos órgão reguladores do marketing multinível dos EUA, a Telexfree mudou seu formato, mas continua atuando no mesmo ramo. O cidadão que deseja entrar na empresa precisa se cadastrar como associado, comprar o pacote com dez VOIPs para alterar seu status para divulgador e, assim, começar a ganhar dinheiro. O valor de cada produto é de 49,90 e pode ser revendido a qualquer pessoa, a qual terá 30 dias para utilizá-lo.

O trabalho do divulgador é fazer a divulgação da empresa para o resto do mundo. “O seu trabalho é fazer uma divulgação diária da empresa em outros sites. A  Telexfree faz isso porque a empresa não contrata pessoas famosas para representar a imagem da empresa. Ao invés de pagar bilhões de dólares para estrelas propagarem o negócio, a Telexefre distribui o valor com quem trabalha para ela”, afirma Carlinhos.

A Telexfree é uma empresa que oferece planos de minutos de telefonia de voz sobre protocolo de internet, o sistema VOIP, e opera no mercado há mais de oito anos, através de líderes e divulgadores, vendendo este produto no mercado. A companhia foi conduzida a alterar seu regulamento por não estar atuando conforme o Governo dos Estados Unidos e os órgãos reguladores de Marketing Multinível exigem. “Assim como qualquer empresa no mercado, a Telexfree sofreu mudanças no seu sistema, para aprimorar seus resultados e evoluir de acordo com a demanda do mercado”, explica Carlinhos. “Mas o sistema sempre teve como produto, o sistema VOIP, porém algumas pessoas tinham uma ideia equivocada do ‘retorno financeiro rápido’ que a empresa proporcionava. O sistema VOIP sempre existiu e a partir do momento que o novo usuário se cadastrava na empresa, o produto VOIP estava vinculado automaticamente no pacote solicitado”, continua.

Para os associados do plano anterior às mudanças, Carlinhos avisa que para as pessoas que ainda não recuperaram o valor aplicado na empresa não precisam de nenhuma qualificação da atual regra. Mas as pessoas que já recuperaram  valor terão que se enquadrar no modelo atual. Estas deverão ter cinco clientes e ainda dois divulgadores que também tenham cinco clientes. Caso o usuário não tenha esta qualificação, ele poderá utilizar seus créditos para pagar faturas dentro do sistema.

Ele também informa que o resgate do crédito é realizado todas as terças-feiras. O divulgador deve solicitar o valor à eWallet, empresa terceirizada  responsável pelo pagamento da Telexfree, e após um perído de 10 a 12 dias o dinheiro estará disponível em conta corrente.

Carlinhos entrou na Telexfree em fevereiro de 2013, começou a trabalhar como líder em outubro do mesmo ano e no final de março de 2014 inaugurou seu escritório em Abington –MA. Para mais informações, ele informa um link no site You Tube de um vídeo com o título “TELEXFREE O QUE FAZER? CBRGROUP USA 04/02/2014” - https://www.youtube.com/watch?v=MkU0LNgqKT8&sns=em.

Proibição da Telexfree no Brasil

 A empresa foi proibida de operar no Brasil por acusação de prática de pirâmide financeira. A decisão foi tomada em junho de 2013, pelo Ministério Público do Estado do Acre. A empresa foi proibida de realizar novos cadastros de clientes e impedida de efetuar pagamentos aos clientes já cadastrados. Foi determinado que a suspensão valeria até o julgamento final da ação principal e, caso não a cumprisse, a TelexFree deveria pagar uma multa diária de 500 mil reais.

Fonte: (da redação)