Publicado em 18/04/2014 as 12:00am

Estudo afirma que imigrantes ajudam a economia

Estudos mostram que a presença de imigrantes gera impacto positivo para economia em NC

O pesquisador Stephen J. Appold, do Kena Institute of Private Enterprise, afirmou nesta semana que os imigrantes possuem um impacto positivo para a economia da Carolina do Norte. “Eles têm impulsionado o crescimento econômico do estado”, afirmou durante uma entrevista sobre um recente estudo no qual foi co-autor.

Segundo ele, estes resultados é a certeza de que “pode-se adicionar um combustível ao debate sobre a presença de imigrantes nos Estados Unidos”. Stephen ressaltou, ainda, que o estudo contradiz a tese dos anti-imigrantes que afirmam que “aqueles que emigram para este país acabam se tornando um fardo para a economia”.

Cerca de 750 mil imigrantes vivem na Carolina do Norte e o estudo mostra que eles contribuem significativamente para o crescimento do estado. “Eles pagam impostos, trabalham arduamente e significam uma peça importante para a nossa economia”, continua.

O estudo foi encomendado pela Associação NC Bankers e o resultado foi divulgado na manhã de terça-feira (15), durante uma entrevista coletiva no hotel Sheraton Imperial, em Durham. Cerca de 100 pessoas estiveram presentes, incluindo vários banqueiros e funcionários públicos.

Segundo Stephen, o estudo abrange todos os imigrantes, independente de suas origens ou situação imigratória no país. Em 2006 foi realizado um estudo semelhante, mas comente com a comunidade hispânica, e ficou revelado que ela possui um impacto menos positivo do que toda a comunidade imigrante.

O estudou mostrou ainda que muitos dos trabalhos desenvolvidos pelos imigrantes são difíceis, perigosos e sujos. Outro ponto deste trabalho foi que a maioria do imigrante, embora esteja na linha da pobreza, “eles se mudaram para os EUA para trabalhar, então não serão pobres desempregados e sim trabalhadores pobres”.

Stephen finaliza sua entrevista afirmando que o impacto positivo dos imigrantes para o estado é fundamental para que as autoridades considere esta comunidade como importante para a economia.

Fonte: (da redação)