Publicado em 21/04/2014 as 12:00am

Empresa pede que justiça 'perdoe' dívida com divulgadores

Após congelamento dos bens, Telexfree pede que justiça 'perdoe' dívida com divulgadores

Em pedido  à Justiça americana, a Telexfree requisitou na última semana que os contratos com os seus ‘divulgadores’ sejam cancelados, como parte do processo de concordata que foi instaurado. A empresa ainda afirmou que se recusará a pagar "muitas das cobranças" que eles têm feito, segundo documentos do processo de concordata.

Na última semana, a investigação da secretaria do estado de Massachusetts concluiu que a Telexfree é uma pirâmide financeira bilionária, originada nos EUA e desenvolvida no Brasil e em países europeus, como Portugal. Poucos dias antes do estado de MA oficializar a acusação de pirâmide fraudulenta, os donos do grupo Telexfree foram à Justiça em Nevada para pedir recuperação judicial pelo capítulo 11 das leis de concordata do país.

A recuperação ainda não foi aceita pela justiça, mas a empresa já entrou com um pedido que busca obter autorização para rejeitar "certos contratos executivos" firmados com os ‘divulgadores’, segundo documentos públicos do processo.

Aprovação vai afetar todos os ‘divulgadores’

Caso aprovada, a rescisão vai cobrir contratos assinados antes e depois de 9 de março de 2014, quando a empresa mudou o sistema de cotas e as formas remuneração aos divulgadores, também chamada de plano de compensação. Segundo o processo, a Telexfree argumenta que os contratos firmados tanto sob o plano de compensação original, cancelado em 9 de março, como sob o plano de compensação revisto “não atendem às necessidades” da empresa.

A empresa ainda afirma que muitas das cobranças feitas por divulgadores que entraram no plano de compensação original são “inválidas” e devem ser desconsideradas. Por outro lado,  as cobranças decorrentes do plano revisto impediriam o negócio de continuar sustentável.

A Telexfree informou que vai identificar aqueles pedidos chamados de “cobranças legítimas” , que não foi explicado nos detalhes do processo, de quais se tratam.  Segundo o documento, “uma vez que as cobranças legítimas tenham sido quantificadas e a companhia tenha desenvolvido um novo programa de compensação, os Devedores [a Telexfree] esperam se reorganizar e honrar as cobranças”, é referido no processo.

Como surpresa, a Telexfree não está escondendo o fato. O processo público foi disponibilizado tanto para a imprensa americana quanto para o  Diário Oficial da União, o que pode acionar para a conclusão que os ‘investidores’ que residem no Brasil também possam ser afetados.

A empresa afirma nos documentos ter 700 mil divulgadores no mundo, enquanto o Ministério Público do Acre estima que apenas no Brasil eles cheguem a 1 milhão. A análise dos pedidos feitos pela empresa começa na última quinta-feira (17).

Fonte: (da redação)