Publicado em 23/04/2014 as 12:00am

Processo de fraude deverá ter decisão essa semana

Processo de fraude contra a TelexFREE deverá ter decisão final ainda essa semana

Após apresentar os documentos requisitados na primeira audiência do caso pela Comissão de Valores Imobiliários (SEC) na última segunda-feira (21), a Telexfree agora aguarda a decisão judicial que irá revelar se a empresa deverá ser enquadrada como pirâmide financeira fraudulenta ou se será absolvida, voltando a atuar nos EUA.

Milhões de divulgadores no mundo todo, principalmente nos EUA, aguardam ansiosos pela decisão que também definirá como ficará a situação dos credores e ‘divulgadores’, que aguardam ansiosamente saber se terão a chance de reaver seus investimentos, que estariam no montante de quase 1 bilhão de dólares que a justiça americana diz acreditar que a empresa possui.

Na última semana, os bens da empresa foram confiscados após uma ação de busca e apreensão na sede da Telexfree,que envolveu inclusive a tentativa de fuga de alguns funcionários com a intenção de se desfazer dos documentos da empresa.

Com o pedido de Recuperação Judicial solicitado pela empresa em andamento, a empresa diz que pretende  ‘reestruturar suas práticas e retomar o seu equilíbrio financeiro’,  que foi afetado abruptamente após o bloquei de de aproximadamente 700 milhões de reais pela justiça acreana, no Brasil. De acordo com a empresa, o serviço VoIP já foi liberado estaria funcionando em condições normais.

Situação da Telexfree nos EUA não afeta julgamento no Acre

 

Mesmo com toda a investigação acontecendo nos EUA, o julgamento da Telexfree pela justiça do Acre não sofrerá nenhuma alteração ou consequência por causa do pedido de concordadata aberto pela empresa nos EUA. A juíza Thaís Borges, da 2ª Vara Cível de Rio Branco,  é responsável pelo julgamento do caso e notificou a imprensa brasileira nessa semana que o caso não será revisto ou alterado por conta das acusações no exterior.

Segundo o comunicado, até o momento as informações que recebidas sobre a situação são extraoficiais e não fazem parte do processo que ocorre no Brasil."O que sei é pela imprensa. No processo não tem nenhuma informação a respeito do que está acontecendo nos Estados Unidos e por hora não tem nenhum reflexo no processo daqui não", explicou ela em comunicado.

A juíza também afirmou que o processo está em fase inicial de perícia, que começou há uma semana e deve durar até 60 dias. "O Ministério Público do Acre (MP-AC) pediu para produzir outras provas e aí eu teria que agendar audiência, mas, caso eles desistam, posso dispensar a audiência" completou a juíza, que também disse que é preciso esperar a finalização da perícia para decidir em qual fase o processo contra a empresa entrará.

Fonte: (da redação)