Publicado em 12/05/2014 as 12:00am

Farah Jorge Farah deve ser julgado por morte de amante

Após cinco adiamentos, Farah Jorge Farah deve ser julgado


O julgamento do ex-cirurgião plástico Farah Jorge Farah, acusado de matar e esquartejar a paciente e amante Maria do Carmo Alves em 2003, deve começar nesta segunda-feira (12) em São Paulo, após ter sido adiado por cinco vezes - a última vez foi em março deste ano.

O júri desta segunda deve ter início às 9h30 no Plenário 10 do Fórum Criminal da Barra Funda, Zona Oeste da capital. É a sexta vez que ele é remarcado.

Em 10 de março, o juiz Rodrigo Tellini de Aguirre Camargo aceitou o pedido da defesa do réu, que alegou que duas de suas oito testemunhas não foram localizadas e isso prejudicaria seu cliente. No ano passado já haviam sido quatro adiamentos.

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), o plenário foi reservado para quatro dias de julgamento. Sete jurados serão escolhidos para julgar se Farah cometeu assassinato e se deveria ser condenado ou absolvido pelo crime. Devem ser ouvidas oito testemunhas de acusação e oito de defesa.

"Farah é perverso. Se finge de frágil. É teatral", afirmou o promotor Andre Luiz Bogado, responsável pela acusação contra o ex-médico.

Atualmente com 64 anos de idade, Farah responde solto pelo homicídio doloso, no qual há a intenção de se matar. Ele é apontado como responsável pela morte, esquartejamento e ocultação do cadáver da dona de casa, paciente e amante Maria Alves. Ela tinha 46 anos quando foi morta.

O então médico era solteiro à época. A vítima estava casada naquela oportunidade.  O marido de Maria é uma das oito testemunhas escolhidas pela acusação para depor no júri. Também foram chamados o delegado do caso e perito.

Fonte: (g1)