Chegou o Classificado do Brazilian Times. Divulgue ou busque produtos e serviços agora mesmo!

Acessar os Classificados

Publicado em 15/05/2014 as 12:00am

SEC divulga nota em português e denuncia Sann Rodrigues

SEC divulga nota em português em seu site e denuncia Sann Rodrigues


 

A Comissão De Valores Mobiliários anunciou em seu site que apresentou acusações contra os operadores baseados em Massachusetts de um grande esquema de pirâmide direcionados principalmente os imigrantes dominicanos e brasileiros nos EUA. As acusações foram arquivadas sob sigilo, em conexão com o pedido da Comissão para um congelamento imediato de bens.

Esse congelamento de bens, que o Tribunal Distrital dos EUA em Boston ordenou, garantiu milhões de dólares de fundos e impediu a dissipação potencial dos ativos de investidores. Após a equipe da SEC ter implementado o congelamento de bens, a pedido da SEC o tribunal levantou o sigilo, permitindo o anúncio público das acusações da SEC.

A SEC alega que Telexfree, Inc. e Telexfree, LLC era uma empresa de marketing multi-nível que vendia serviços de telefonia baseado na tecnologia "voz sobre Internet" (VoIP), mas na verdade operava um esquema de pirâmide elaborada.

Além de apresentar queixa contra a empresa, a SEC apresentou queixa contra vários promotores do TelexFree e nomeou várias entidades ligadas à ela como rés nominais com base em seu recebimento de fundos de investidores.

O relatório pós-investigação da SEC cita como um dos principais promotores da TelexFree, Sanderley Rodrigues de Vasconcelos, também conhecido como Sann Rodrigues, que já possui em seu currículo um uma história de envolvimento com produtos de telefonia e fraude ligadas à esquemas de pirâmide.

De acordo com a denúncia da SEC, os réus venderam títulos sob a forma de "associações" TelexFree que prometia retornos anuais de 200 por cento ou mais para aqueles que promovessem a empresa, recrutando novos membros e colocando anúncios em sites de classificados grátis.

A denúncia do SEC alega que as receitas das vendas VoIP do TelexFree de aproximadamente $1,3 milhões de dólares de agosto de 2012 até março de 2014 são apenas um por cento de mais de $1,1 bilhão de dólares necessários para cobrir seus pagamentos prometidos aos seus promotores. Como resultado, em forma de esquema de pirâmide clássico, TelexFree pagava aos investidores anteriores, não com as receitas da venda de seu produto de VoIP, mas com o dinheiro recebido de novos investidores.

"Este é um dos vários casos de esquema de pirâmide que a SEC apresentou recentemente onde as partes afirmam que os investidores podem ganhar lucros através do recrutamento de outros membros ou investidores em vez de fazer qualquer trabalho real," disse Paul G. Levenson, diretor do Escritório Regional da SEC em Boston. "Mesmo depois que a SEC e outros reguladores alertarem que tais programas são uma fraude, os promotores de TelexFree continuaram a vender a falsa promessa de dinheiro fácil".

De acordo com a denúncia da SEC, os réus continuaram inscrevendo novos investidores, mas o método do TelexFree de compensação dos promotores mudou, os obrigando a vender o produto de VoIP para se qualificar para os pagamentos que anteriormente a TelexFree tinha prometido serem pagos. A denúncia alega também que desde dezembro de 2013, a empresa transferiu $30 milhões de dólares ou mais dos fundos de investidores das contas operacionais do TelexFree para contas controladas pelas afiliadas TelexFree ou aos réus individuais.

Além das empresas TelexFree, foi apresentado acusações contra o coproprietário do TelexFree James Merrill, de Ashland, Massachusetts, o coproprietário e tesoureiro, Carlos Wanzeler, de Northborough, Massachusetts, o CFO do TelexFree, Joseph H. Craft, de Boonville, Indiana, e o diretor de vendas internacional do TelexFree, Steve Labriola, de Northbridge, Massachusetts.

A SEC também acusou quatro indivíduos que foram promotores do programa do TelexFree: Sanderley Rodrigues de Vasconcelos, anteriormente de Revere, Massachusetts, agora em Davenport, Florida, Santiago De La Rosa, de Lynn, Massachusetts, Randy N. Crosby, Alpharetta, Georgia., e a Faith R. Sloan de Chicago.

A queixa da SEC alega que TelexFree, Inc., TelexFree, LLC, Merrill, Wanzeler, Craft, Labriola, Rodrigues de Vasconcelos, De La Rosa, Crosby e Sloan violaram as disposições relativas ao registo e antifraude das leis de valores mobiliários dos EUA e da regra antifraude da SEC.

A SEC também acusou três entidades ligadas ao Telexfree como rés nominais com base em seu recebimento de recursos de investidores.

A investigação da SEC foi conduzida por Scott R. Stanley, James M. Fay, Mark Albers, John McCann, Frank Huntington e Kevin Kelcourse, todos do Escritório Regional da SEC em Boston.

Acesse : www.sec.gov/enforce/Article/telexfree-press-release-portuguese.html#.U3VW7tJdV1Z para ver a nota

Fonte: (da redação)

Top News