Publicado em 6/06/2014 as 12:00am

Paraense morre de desidratação na travessia da fronteira

Paraense morre de desidratação na travessia da fronteira

Luciano Sodré

Mais uma notícia triste abalou a comunidade brasileira nos Estados Unidos. O jovem Rodrigo, de apenas 19 anos de idade, morreu durante a travessia na fronteira entre os Estados Unidos e o México.  Ele estava em um grupo de 23 pessoas, onde a maioria tinha como objetivo a cidade de Newark (New Jersey).

Rodrigo era natural de Rondon do Pará e tinha um amigo esperando por ele nos Estados Unidos, o qual ficou bastante abalado com a notícia. O paraense tem uma irmã que mora na cidade de Union (NJ), a qual está tomando conta de todos os trâmites para levar o corpo de volta Brasil.

O amigo de infância, que preferiu omitir seu nome, disse que quando Rodrigo chegou ao México, eles conversavam todos os dias. “A travessia durou cerca de dois meses e o Rodrigo morreu de desidratação”, disse bastante abalado. “Eu o estava esperando ansioso e tínhamos muitos planos e ele muitos sonhos”, continua.

Apesar de o laudo ter mostrado que Rodrigo morreu vítima de desidratação, as investigações estão em andamento para saber se ele foi abandonado pelo coiote que o estava trazendo. As pessoas sente medo de falar sobre o assunto, mas a reportagem do Brazilian Times descobriu através de uma fonte, que o nome do responsável pela viagem é “Beto” e que ele faz este trabalho há alguns anos e é responsável pela vinda de várias mulheres do Pará para dançar nas boates de Newark.

Segundo o amigo, Rodrigo teria dito a outra brasileira que estava com ele que não suportava mais caminhar e que iria esperar a imigração. Então o grupo seguiu viagem e ele ficou parado, a espera de ajuda.

O corpo de Rodrigo foi encontrado pelas autoridades na fronteira entre a região de Mcaleen e Houston, no Texas. Ainda não se sabe quantos dias ele ficou morto até ser encontrado. A irmã e os amigos estão esperando a amiga, identificada por Silvia (de Minas Gerais), “pois somente poderá falar o que realmente aconteceu”.

O corpo está em Mcaleen e a família não sabe ainda se vai ser precisa fazer uma campanha custear as despesas do translado.

Fonte: (da redação)