Publicado em 9/06/2014 as 12:00am

Família tenta libertação de brasileiro preso em MA

Família tenta libertação de brasileiro preso em MA

A irmã do catarinense de Criciúma, Rodrigo Kestering Zapelini, 41 anos, está tentando livrá-lo da cadeia, pois alega que ele foi preso “injustamente” baseado em acusações mentirosas de sua ex-namorada. A prisão aconteceu no dia 12 de março deste ano, depois que a suposta vítima alegou que o acusado teria tentando lhe matar usando uma mangueira de jardim envolta em seu pescoço.

Em seu depoimento, a mulher, natural de Marilac (Minas Gerais), relatou que foi chutada e espancada por Rodrigo. Ela também afirmou que ele a manteve em cárcere privado. Durante a audiência, em março, na cidade de Lowell (Massachusetts) ele alegou inocência das acusações de tentativa de homicídio e sequestro, agressão com arma perigosa.

Os promotores pediram uma fiança de US$10 mil para que o catarinense pudesse responder o processo em liberdade, mas a advogada de defesa, Lindsay Kanter, contestou e pediu que o valor fosse reduzido para US$5 mil, pedido este aceito pelo Juiz Stacey Fortes.

O problema foi que a família conseguiu o dinheiro e quando foi pagar a fiança, foi surpreendida pela notícia de que o brasileiro não seria liberado a pedido do Departamento de Imigração.

Em uma conversa com a redação do jornal Brazilian Times, a irmã Adriana K. Zapelini disse que toda a história contada na audiência pela ex-namorada foi mentira e “ela quer usar esta situação para tentar se legalizar no país”.

Adriana relatou que tudo começou há cerca de um ano, quando a ex-namorada abriu a correspondência de Rodrigo e viu que ele havia feito uma ligação telefônica para a ex-esposa, mãe do filho dele. “Indignada com a situação, ela ficou esperando ele na porta para brigar. Assim que meu irmão apareceu ela começou a discussão e depois ela tentou sair de carro”, disse. “Meu irmão ficou com medo dela sair de noite, pois toma remédios controlados e não tinha carteira de motorista”, continua.

A irmã conta que Rodrigo tentou segurar o braço da ex-namorada pela janela do carro, mas ela fechou o vidro apertando o braço dele. “Em seguida, ela tentou sair com o veículo e meu irmão como ia ser arrastado, quebrou o vidro para não se machucar”, disse relatando que depois disso a polícia foi acionada. “Quando os policiais chegaram, ela relatou que ele não a tinha agredido e Rodrigo passou uma noite na cadeia”, explica.

O problema, segundo Adriana, é que um ano depois quando foi acontecer a audiência, a ex-namorada resolveu mudar toda a história e aos poucos descobriu que ela poderia estar querendo se beneficiar do caso. “Eu fiquei sabendo que ela procurou uma entidade que cuida de imigrantes que falam português, na cidade de Cambridge (MA), a qual a ajudou dar entrada com pedido de visto baseada em violência doméstica”, fala. “Eu mesma tinha dado esta ideia para ela quando eu sou que ela sofria agressões por parte do ex-marido. Só não sabia que ela iria usar contra o meu irmão e de uma forma tão mentirosa”, continua.

O brasileiro está preso desde março e a família ainda não sabe quando será a próxima audiência. Elas esperam que a advogada consiga que ele responda o processo em liberdade. “Não existe nada que prove que ele é culpado, nem mesmo um boletim de ocorrência relatando todas estas acusações atuais”, acrescenta. “Tenho certeza de que ela está querendo usar meu irmão para conseguir o Green Card através de uma história mentirosa de violência doméstica”, finaliza.

Fonte: (da redacao)