Publicado em 9/06/2014 as 12:00am

Fernandão evitou que sócio viajasse em helicóptero

Fernandão evitou que sócio viajasse com ele em helicóptero que caiu


Amigo e sócio do ex-jogador de futebol Fernandão, o empresário Alberto Pereira, conhecido como Betão, revelou que deixou, minutos antes da decolagem, o helicóptero onde o ex-atleta e mais quatro pessoas estavam em Aruanã (GO), rumo a um rancho às margens do Rio Araguaia. A aeronave caiu na madrugada de sábado (7), quando o grupo retornava à cidade, e matou todos os ocupantes.

Betão diz que decidiu de última hora não viajar com os amigos. "Eu estava dentro do helicóptero. Minha esposa e meus filhos chegaram naquele momento para me visitar, e ele [Fernandão] falou: 'Fica, sócio; fica, irmão. Nós só vamos jogar um baralhinho e voltamos daqui a pouco'. E não voltou", afirma o empresário, que era sócio do ex-jogador na empresa Planalto Indústria Mecânica Ltda. O helicóptero que caiu estava no nome da companhia, especializada em equipamentos de limpeza urbana.

Além de Fernandão, morreram no acidente Antônio de Pádua, o "Bidó", primo do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSBD); Edmilson de Sousa Lemes, cabo da PM e presidente da Câmara Municipal de Palmeiras de Goiás; Milton Ananias, coronel aposentado da Polícia Militar e responsável por pilotar a aeronave; e Lindomar Mendes Vieira, funcionário da fazenda do ex-jogador.

O grupo estava voltando de um acampamento montado às margens do Rio Araguaia para a temporada de férias, no mês que vem, quando ocorreu o acidente. Dos cinco ocupantes, apenas Fernandão foi socorrido ainda com vida. "Nós o encontramos, e ele estava com múltiplas fraturas, mas ainda respirando com dificuldade. Fizemos o primeiro atendimento e o encaminhamos ao hospital", lembra o tenente Paulo César Almeida Timóteo, comandante do Corpo de Bombeiros de Aruanã.

Fonte: (g1)

Top News