Publicado em 30/06/2014 as 12:00am

Advogado de Framingham afirma que vai "perseguir" Carlos Wanzeler e Carlos Costa

Uma ação coletiva comandada por um advogado em Framingham, Massachusetts, contra representantes da Telexfree, saiu da esfera estadual para os Tribunais Federais. Os envolvidos acredita-se que será um julgamento rápido.

Da redação

Uma ação coletiva comandada por um advogado em Framingham, Massachusetts, contra representantes da Telexfree, saiu da esfera estadual para os Tribunais Federais. Os envolvidos acredita-se que será um julgamento rápido.

Evans J. Carter entrou com uma ação na Corte Superior de Meddlesex, em abril, representando um homem na cidade de Worcester. Recentemente, o Tribunal transformou a queixa em um caso federal. Ao invés de tentar deixar o processo em Massachusetts, o advogado conversou com um administrador do Governo o qual lhe orientou seguir adiante, mas em um Tribunal Federal.

O objetivo de Carter é “perseguir” os supostos mentores da empresa, que fugiram para o Brasil. "Esperamos que esta ação tenha um julgamento rápido", disse ele. "Então nós vamos atrás deles naquele país", continuou.

A ação conjunta iniciada pelo advogado, se receber o aval do governo para seguir adiante, poderá representar cerca de 100 mil vítimas da Telexfree, as quais perderam dezenas de milhares de dólares investindo nesta empresa. O advogado pretende incluir o Departamento de Segurança Interna em seu depoimento, o que ele considera fundamental para fortalecer as investigações contra os acusados.

No processo de Carter, constam nomes de 11 réus, incluindo Carlos Roberto Costa, um dos supostos fundadores da Telexfree, o qual não foi arrolado como réu no caso do Securities and Exchange Commission (SEC). “Enquanto o governo se abstém de perseguir os estrangeiros envolvidos neste esquema, Costa vive tranquilo no Espírito Santo. Mas eu vou atrás de cada um destes acusados que fugiram dos EUA”, afirma. “Eu não tenho nenhuma objeção em ir atrás de estrangeiros em seus países de origem”, conclui.

Fonte: Brazilian Times