Publicado em 3/07/2014 as 12:00am

Bebê Sofia chega aos EUA para fazer transplante pago pelo governo

Sofia Lacerda sofre da síndrome de Berdon, uma doença rara que provoca problemas no intestino, bexiga e estômago, e, por isso, precisa do transplante. No Brasil, a cirurgia é feita pelo SUS de maneira experimental, e a família optou por realizar a operaçã

Depois de 14 horas de viagem, a bebê Sofia Lacerda e a mãe dela, Patrícia Lacerda, chegaram, por volta das 15h30 desta quarta-feira, a Miami, nos Estados Unidos, onde ela fará um transplante mutivisceral. A viagem, que aconteceria às 18h de hoje, foi antecipada por conta da melhora climática em Miami. O pai da menina seguiu para Miami em voo comercial às 10h de hoje e deve chegar em Miami na noite de hoje.

A informação é do advogado de Patrícia, Miguel Navarro. "Ela está incomunicável por enquanto, mas já chegou. Em breve, conseguirá acesso à Internet e irá se comunicar com todos no Brasil", disse o advogado.

Ele informou ainda que a menina já viagem foi tranquila e que tanto a filha quanto a mãe estão bem. A menina foi levada ao Jackson Memorial Medical de Miami e que fará uma série de exames, mas não ficará internada.

Agora, Sofia irá esperar os resultados dos exames e, depois, ingressar na lista de transplantes e deve esperar um doador. O procedimento não tem prazo para ser realizado. O brasileiro Rodrigo Vianna, diretor responsável pelo setor de transplantes do hospital e que fará o procedimento, já teve contato com a menina e afirmou que irá se pronunciar sobre o assunto ainda hoje.

O CASO
Sofia sobre com síndrome de Berdon, uma doença rara que provoca problemas no intestino, bexiga e estômago, e, por isso, precisa do transplante. No Brasil, a cirurgia é feita pelo SUS de maneira experimental e a família optou por realizar a operação nos EUA, onde ela é feita há mais tempo.

O procedimento, que será feito no Jackson Memorial Medical de Miami, custa R$ 2,4 milhões e será custeado pela União, que foi obrigada pela Justiça a pagar o tratamento e qualquer outro gasto extra que surgir. O dinheiro já foi depositado na conta do hospital.

Fonte: Brazilian Times