Publicado em 1/10/2014 as 12:00am

Brasileiro se livra das acusações de estupro em PA

O mineiro de Governador Valadares, Vilmar Antunes, 43 anos, foi inocentado em um processo de estupro que enfrentava em PA

O mineiro de Governador Valadares, Vilmar Antunes, 43 anos, foi inocentado em um processo de estupro que enfrentava na Pensilvânia. Ele, que mora na cidade de foi considerado inocente das oito acusações de abuso sexual a um menino de 11 anos de idade, em Scranton.

O brasileiro, que trabalha como mecânico, foi indiciado oficialmente em outubro de 2012 pelo estupro e o crime teria acontecido na garagem do mineiro, em agosto do mesmo ano. Em um julgamento, realizado em janeiro deste ano, a situação de Vilmar parecia ficar mais complicada, pois a suposta vítima alegou que foi molestado outra vez na casa do acusado.

Vilmar, que vive há 26 anos nos Estados Unidos, disse, ao jornal local de New Jersey (Brazilian Voice), que conheceu a mãe do menino quando tinha um quadricículo e andava pela cidade com outros amantes do veículo. O ponto de parada destes passeios era na casa do cunhado da mulher.

Em um determinado dia, ela lhe pediu $40 emprestado, alegando que passava necessidade e que o namorado (pai do menino) não conseguia trabalho porque cumpria pena na prisão. O brasileiro, lhe cobrou algumas vezes, mas ela alegava que não tinha como pagar.

Um dia, a mulher pediu ao brasileiro que deixasse o seu filho usar o computador na garagem da casa, pois não tinha internet em sua casa. O brasileiro disse que estava tudo bem e enquanto o garoto navegava pela internet, Vilmar atendia um cliente. Em da do momento, o mineiro sacou de seu bolso um bolo de dinheiro, totalizando US$3,200 para dar o troco a uma pessoa.

O menino pediu que lhe desse US$ 100 para comprar um tênis, mas o brasileiro disse que não podia dar, pois o dinheiro era para o aluguel de sua casa e da garagem. Após atender os clientes, o brasileiro fechou o local e levou o menino para a casa de sua mãe.

Mas no dia 28 de agosto de 2012, a polícia foi até a casa do brasileiro e pediu para que ele saísse e os acompanhasse até a delegacia de Scranton. Vilmar conta que todos lhe trataram bem até chegar à sala de interrogatório, quando alguém gritou que ele era um estuprador e que viram o ânus e as nádegas da criança. “Eles me perguntavam se eu tinha sofrido abusos durante a minha infância”, continua.

O brasileiro não ficou preso, mas a polícia interditou a garagem onde ele trabalhava para investigação e coletou amostras de DNA da parte interna de sua bochecha usando um cotonete. Mas no dia 5 de outubro ele foi preso mediante uma fiança de US$250 mil, baixando para US$100 mil.

Os amigos se uniram para ajudar o brasileiro e o pastor Valmar Farias deu a própria casa como garantia para que Vilmar pudesse responder o processo em liberdade. No dia 3 de março de 2013, ele foi liberado e emagreceu 35 libras na cadeia.


O JULGAMENTO E O ALÍVIO

No dia 22 de setembro, teve início o julgamento do brasileiro, conduzido pelo juiz Vito Geroulo. Um Júri popular, composto por 13 pessoas, decidiu pela inocência de Vilmar e na quinta-feira ele foi oficialmente declarado inocente.

O brasileiro suspeita que foi tudo uma armação da mãe do menino, para tentar extorquir algum dinheiro. “Tenho certeza de que ela queria dinheiro, mas o caso fugiu ao seu controle”, afirma. “Tudo isso por causa de 40 dólares, mas eu venci para a honra e glória de Deus”, conclui.

Fonte: Da Redação