Publicado em 28/11/2014 as 12:00am

Brasileira beneficiada fala de Ordem Executiva de Obama

"Eu vi lágrimas nos olhos das pessoas e pude perceber o quanto esta medida foi importante", disse Renata Teodoro

O anúncio feito pelo presidente Barack Obama, dia 21, sobre a sua Ordem Executiva que beneficiará cerca de cinco milhões de imigrantes, continua repercutindo em todos os Estados Unidos. Enquanto de um lado os críticos atacam com todas as forças a medida, do outro, ativistas e simpatizantes defendem a atitude do Executivo.

A brasileira Renata Teodoro, 27 anos, coordenadora do Student Immigrant Movement (SIM), é uma estudante em situação irregular que foi beneficiada por uma outra ordem de Obama, a DACA (Deferred Action for Childhood Arrivals). Ela disse que no momento em que o presidente fazia o anúncio, “pode ver lágrimas nos olhos de algumas pessoas”.

Renata fala que foi incrível estar reunida entre 50 pessoas para acompanhar o pronunciamento do presidente. “Eu acredito que Obama sabe que as vitórias obtidas aconteceram por causa da comunidade imigrante e dos estudantes indocumentados, os quais lutaram muito por este momento”, explica.

Ela ressalta que esta medida não era o que a maioria esperava, mas “trará tranquilidade para milhões de famílias”. Por isso, a estudante justificou a sua alegria, pois depois que se beneficiou com o DACA, ficava triste quando via pessoas próximas não ter os mesmos direitos. “Com esta nova Ordem, tudo vai mudar todos sairão das sombras”, continua.

As ações de Obama incluem:

* Expandir o contingente de pessoas elegíveis para a Deferred Action for Childhood Arrivals (DACA), programa voltado para os jovens que chegaram a este país antes de completarem 16 anos e que estejam aqui desde 1 de janeiro de 2010, estendendo o período do DACA e autorizações de trabalho de dois para três anos.

* Permitir que indivíduos, que estejam no país desde 1 de janeiro de 2010 e sejam pais de cidadãos americanos ou de residentes permanentes, requeiram a Deferred Action e autorizações de trabalho válidas por três anos, através do novo programa agora chamado Deferred Action for Parental Accountability, sendo necessário que os mesmos passem por verificações de antecedentes. 

* Expandir o uso do perdão provisional para presenças ilegais que incluam cônjuges e filhos de residentes permanentes legais e filhos de cidadãos americanos 

* Modernizar, melhorar e esclarecer os programas imigratórios e não-imigratórios que fortaleçam nossa economia e criem empregos.

* Promover a educação para a cidadania e a conscientização pública junto aos residentes legais permanentes, permitindo o uso de cartões de crédito para o pagamento da taxa de naturalização.

Fonte: Da Redação