Publicado em 10/12/2014 as 12:00am

Acusada de forjar doença, brasileira se defende

"Nunca pedi dinheiro a ninguém e quero apenas ficar em paz com minha família", fala

Natural de Maceió (Alagoas), Elisângela dos Santos Tenório Pessoa se defendeu das acusações de que teria forjado uma doença para arrecadar dinheiro através das redes sociais. Em uma entrevista exclusiva ao jornal Brazilian Times, ela contou a sua versão da história e desmentiu tudo que a mídia e internautas estão publicando a seu respeito.

Uma pessoa que sobre de depressão e toma muitos remédios controlados, Elisângela apresentou vários documentos que provam a sua história e que realmente pode estar doente. “Mas não ficou nada comprovado ainda”, fala ressaltando que passou por uma tomografia, na segunda-feira (08) e aguarda os resultados. “Somente depois é que saberei que tipo de doença eu tenho”, continua.

Elisângela afirma que em nenhum momento pediu dinheiro para as pessoas e que terceiros iniciaram uma campanha para ajuda-la, sem que ela tivesse conhecimento. Segundo ela, tudo começou quando seu filho pediu a ajuda de um amigo de 12 anos para escrever uma carta bastante emocionante. “Ele pediu a Deus pela minha saúde e que o pai fosse libertado”, fala. “Eu fiquei muito emocionada e decidi publicar a carta e logo em seguida várias pessoas começaram a me procurar e oferecer ajuda”, explica.

A brasileira, que recebe assistência do plano de saúde MassHealth, acrescentou que a única coisa que disse para as pessoas é que estava atravessando problemas financeiros, pois seu marido realmente está preso e ela impossibilitada de trabalhar. “Estou com aluguel atrasado, mas jamais pedi para que alguém pagasse por mim”, continua.

Elisângela afirma que depois que a suposta campanha começou, ela recebeu apenas um cheque no valor de US$100.00, mas que devolverá ao dono, pois não quer dinheiro de ninguém. “Eu recebo ajuda de uma igreja católica americana, que me dá alimentos e muitas coisas”, acrescenta.

Em relação ao câncer, Elisângela explica que a primeira carta que recebeu de sua médica, dizia que ela iria passar por um tratamento contra o câncer e que deveria parar de trabalhar. “Eu não sou médica e se uma especialista me disse isso, na minha cabeça eu tinha isso”, fala ressaltando que pouco tempo depois foi descoberto que a doença poderia ser nódulos calcificante nos pulmões.

Durante a entrevista, Elisângela se contradiz e disse que pediu dinheiro apenas para pagar o aluguel que está atrasado. “Uma pessoa chamada Michele Cruz, foi á minha casa depois de ler a carta, e se prontificou a me ajudar. Eu disse para ela que não precisava de comida, e que somente estava com dificuldades de pagar o aluguel de onde moro”, explica.

Bastante abalada com os comentários negativos que surgiram nas redes sociais de que ela estaria forjando uma doença para conseguir dinheiro, Elisangela disse que a única coisa que deseja neste momento é “paz e tranquilidade”. Ela afirma que sua vontade é que o marido saia da prisão e que possa viver com sua família.

O marido de Elisângela foi preso por violência doméstica, depois de agredi-la. Mas ela garante que não chamou a polícia. “Os policiais foram à minha casa, pois alguém deve ter chamado. Isso porque o filho estava apavorado e gritava muito durante a discussão do casal”, explica ressaltando que a briga foi porque ela descobriu a traição do marido e que sentia muito ciúmes.

Depois que os comentários e ataques começaram, ela procurou sua assistente social e pediu ajuda. O primeiro conselho foi para que a brasileira cancelasse a sua conta no Facebook. “Meu Deus, vocês podem ver o vídeo que gravaram em minha casa. Em momento alguém eu pedi dinheiro ou disse que tinha câncer”, rebate as acusações de que foi ela quem forjou a história.

O Brazilian Times publicou que Elisângela tentou vender uma loja no ano de 2012. Ela confirmou a história e disse que foi proprietária, com o seu cunhado, de uma loja chamada “Brazilian Express”, na cidade de Stoughton (Massachusetts). Eu consegui vendê-la para um português. Qual o erro em querer vender o que é meu”, indaga.

Ao final da entrevista, ela respondeu a pergunta “por que todos começaram a atacá-la?” Elisângela disse que sabe quem pode estar fazendo isso, mas não quis citar nomes. Ela afirma que as pessoas por trás disso querem apenas destruí-la. “Deus sabe quem é, e Ele se encarregará de cobrar. Quero apenas paz”, conclui.

Fonte: Da Redação do Brazilian Timers | Texto de Luciano Sodré