Publicado em 5/01/2015 as 12:00am

Agentes de imigração começam caça a imigrantes da América Central

As procuras ocorreram no Texas e Geórgia, e marca o primeiro do que supostamente será um esforço nacional pela administração Obama de deportar centro-americanos que atravessaram a fronteira EUA-México em 2014.

Agentes de imigração começaram nesta segunda-feira, dia 4 de Janeiro de 2016, a caça por imigrantes centro-americanos que não tenham cumprido as ordens de deportação, de acordo com vários relatórios publicados.

As procuras ocorreram no Texas e Geórgia, e marca o primeiro do que supostamente será um esforço nacional pela administração Obama de deportar centro-americanos que atravessaram a fronteira EUA-México em 2014 - muitas vezes em comboios de famílias e, geralmente, em busca de asilo político.

"Vamos realizar toda essa busca a nível nacional ", já que "estas famílias estão em todo o país", Michelle Mendez, uma advogada da Catholic Legal Immigration Network, uma organização nacional de direitos de imigrantes, disse ao Wall Street Journal.

Relatórios começaram a circular na última semana de dezembro mostrando que o governo estava planejando realizar buscas em massa para procurar e deportar centro-americanos que ignoraram as ordens de deportação.

Os relatórios apareceram depois que o número de centro-americanos que procuraram entrar nos Estados Unidos através da fronteira aumentou consideravelmente depois de ter permanecido em baixa durante a maior parte do ano.

Muitos dos imigrantes, entre os quais milhares de menores sem os pais, disseram que fugiram por causa da violência de gangues e da pobreza extrema na América Central.

Muitos jovens disseram que haviam fugido após serem pressionados a “juntar-se ou morrer”, como eles próprios disseram, à gangues violentas de seus países.  A maioria das famílias fugiram de Honduras, El Salvador e Guatemala.

O secretário do Departamento de Segurança Interna Jeh Johnson, defendeu as buscas na segunda-feira, dizendo que elas são necessárias para dissuadir os migrantes da entrada ilegal pela fronteira.

"Eu sei que há muitos que condenam nossos esforços para execução deste trabalho, enquanto que também haverá outros que dizem que essas ações não vão longe o suficiente ", disse. "Eu também reconheço a realidade da dor que as deportações de fato causa, mas temos de cumprir a lei de acordo com as nossas prioridades. "

Ele disse que sua agência estava simplesmente fazendo com que as pessoas sigam leis federais.

"Como eu já disse várias vezes, nossas fronteiras não estão abertas a imigração ilegal ", disse ele. " Se você vir aqui ilegalmente, será devolvido, de acordo com as leis deste país”!

Grupos de defesa de imigração estão atacando a administração pela escolha de expulsar famílias que acabaram ficando com ordens de deportação, eles dizem, só porque eles não tiveram a oportunidade de conselho jurídico de um advogado para fazer o seu caso de asilo político.

"Em vez de garantir o acesso à assistência jurídica e ao devido processo, e assim serem aceitos através do asilo político, o governo federal está enviando essas famílias de volta para o terror e violência de que elas fugiram. A América é melhor do que isso!", disse Ali Noorani, diretora -executiva do Fórum Nacional de Imigração.

Charles Kuck, advogado em Atlanta, disse a um jornal local que uma mãe e seus três filhos foram levados sob custódia quando os agentes do ICE "fingindo estar à procura de um criminoso", ... pediu para entrar na casa para verificar se ele estava lá.

Kuck acrescentou: "Nós ainda não sabemos onde elas foram parar”.

Em antecipação das buscas pela imigração, dezenas de grupos de direitos humanos enviaram uma carta ao presidente Barack Obama na semana passada protestando o plano de realizar essas prisões em massa de centro-americanos.

Em outubro e novembro, cerca de 12.000 pessoas, geralmente vindos em unidades familiares, foram presas na fronteira. Isso é cerca de três vezes mais do que foram presos durante aqueles meses no ano anterior.

Em um ponto em 2014, cerca de 10.000 menores da América Central estavam chegando a cada mês - apresentando um dilema que o governo não está preparado para reviver.

Como acontece com quase todos os aspectos da imigração, a questão dos menores da América Central não acompanhados se tornou um ponto político da disputa, com aqueles que preferem uma linha dura para deportá-los, e aqueles que querem mais clemência dizendo que eles deveriam ser autorizados a permanecer aqui.

A candidata presidencial democrata Hillary Clinton atraiu a ira de grupos de defesa de imigração quando ela disse em 2014 que as crianças devem ser devolvidos aos seus países de origem.

Enquanto isso, o candidato do Partido Republicano Donald Trump diz que a administração Obama “está tornando uma página da sua promessa política de campanha que quer tornar deportação em massa uma realidade! Obama quer agora deportar os imigrantes ilegais que já estão aqui e dissuadir outros de entrarem sem permissão”, o principal candidato GOP disse, "por causa de mim, eles estão começando a deportar pessoas que estão aqui ilegalmente."

Fonte: braziliantimes.com