Publicado em 9/01/2015 as 12:00am

BT Entrevista Eliseu Caetano

Na última semana de 2014, o Jornal Brazilian Times recebeu em sua redação, o novo repórter do programa semanal Planeta Brasil, o jornalista Eliseu Caetano.

Na última semana de 2014, o Jornal Brazilian Times recebeu em sua redação, o novo repórter do programa semanal Planeta Brasil, o jornalista Eliseu Caetano.

Jovem promissor, o carioca de 30 anos, formado em Comunicação Social, falou um pouco sobre seus projetos e o seu trabalho no programa da Globo Internacional.

Brazilian Times: Qual foi seu primeiro trabalho na Globo?

Eliseu Caetano: Trabalhei no Rio nos telejornais Bom Dia Rio e RJTV. Também já fiz reportagens fora do país, e fiz matérias como freelancer para a TELESUR e para o canal SIC, de Portugal. Também fiz trabalhos na Europa durante os 3 anos em que fui repórter da TV Brasil.

BT: Como se sente no Planeta Brasil, fazendo esse trabalho de entretenimento comunitário?

EC: O novo modelo do Planeta Brasil busca se misturar ainda mais com os brasileiros que vivem nas Américas. Essa é a minha primeira incursão comunitária internacional, mas na minha experiência com os telejornais do Rio eu já tinha contato com a comunidade. É uma grande alegria participar do Planeta Brasil, no canal internacional da Globo. O programa é leve e dinâmico.

BT: Como são feitas as pautas?

EC: Agora nós somos quatro na equipe do Planeta Brasil: Eu, César, Fernanda e Natália. Cada um de nós trabalha de uma região diferente dos EUA. Fazemos reuniões diárias em conference calls, onde opinamos e definimos o que será apresentado no próximo programa. Somos um grupo muito amigo e homogêneo e contamos com a nossa equipe de produção que é muito bacana, profissional e super antenada, que fica em Los Angeles. Buscamos sempre a conexão com a comunidade brasileira e, apesar do Planeta ser um programa de entretenimento, temos o perfil de informar também.

BT: Qual seria a maior diferença da comunidade brasileira daqui, para nossos compatriotas no Brasil?

EC: Eu nunca tinha pensado em fazer um trabalho como esse. O Planeta Brasil é um programa muito específico e estou essa amando essa experiência profissional. Você sempre acha que está muito longe, imagine, morar fora do país e, mesmo assim poder falar pro seu povo? Essa era pra mim uma oportunidade inimaginável. Todos os dias têm sido uma nova descoberta e tô levando numa boa. Me mudei agora para New Jersey, para estar mais perto da comunidade e descobrir quem são as principais figuras de lá, quem faz parte da comunidade, aqueles que vão à luta para conquistar os seus sonhos, as congregações religiosas, enfim, todos os dias têm sido de novas descobertas. A maior diferença entre a comunidade que vive aqui e o nosso povo no Brasil, é convivência com a saudade. Essa palavra, que não existe no vocabulário inglês, é fortemente sentida nos corações brasileiros. É muita saudade de casa, da comida, da música, do cheiro, do clima e da “confusão”. Mas aqui conseguimos diminuí-la um pouco, quando entramos em alguns estabelecimentos como um bom restaurante brasileiro, de culinária mineira, gaúcha, goiana, baiana, e carioca, entre outras. Não esquecendo os eventos sociais que acontecem aqui como shows de artistas brasileiros e peças teatrais. Acho que essa é uma maneira de manter as nossas raízes e diminuir um pouco a distância e a saudade do Brasil.

BT: O que você tem a falar sobre os EUA?

EC: Rapaz, é uma surpresa diária. Aqui a comunidade se abraça, se preocupa uns com os outros, busca ajudar ao próximo e tem esse patriotismo mais aflorado. No Brazilian Day, mais de um milhão de brasileiros e estrangeiros se reúnem para celebrar a o Dia da Independência do nosso país, no coração de Nova Iorque. É de arrepiar! Sem preço! Eu não imaginei que seria tão bem recebido pela comunidade brasileira e também por americanos e pessoas de outras culturas. Eu já tenho vários novos amigos americanos, e todos falam com muito carinho do nosso país. Isso tem me chamado muito a atenção, me surpreende! Na verdade, também existem aqui vários brasileiros empreendedores, como o Edirson Paiva (Publisher do Brazilian Times), que com sua garra, contribui para mostrar uma imagem séria e positiva do país.

BT: O que o leitor pode saber sobre o Eliseu?

EC: Eu definitivamente não sou uma pessoa de fazer planos. Sou filho de militares e fui criado dentro de planos, a curto e médio prazo. Lá em casa as coisas sempre foram regradas mas depois que cresci, comecei a respeitar os caminhos da vida. Eu não sou um cara que sofre à toa. Aceito de bom grado aquilo que a vida me dá e tento dar um jeitinho para que tudo corra da melhor maneira possível. Espero sempre contar com a ajuda de vocês.

BT: Um recado final aos leitores do Brazilian Times e à comunidade brasileira em geral.

EC: Gostaria de agradecer a todos os leitores do Brazilian Times pela a audiência e pelo carinho ao Planeta Brasil. Esse foi um ano em que pude aprender muito e o meu trabalho só foi possível por causa do meu contato com pessoas como vocês, que me fizeram crescer como ser humano e como profissional. Eu agradeço o ano de 2014, que foi cheio de conquistas e estou pronto para 2015. Também conto com vocês para as novas matérias do Planeta Brasil 2015. Entre em contato com a gente, através do site www.programas.tvglobointernacional.com.br/platb/planetabrasil

Fonte: Da Redação do Brazilian Times | Reportagem de Marcello Malcher