Publicado em 23/01/2015 as 12:00am

Advogado preconceituoso faz novas vítimas em MA

O perfil dos brasileiros que moram nos EUA é de pessoas oriundas dos estados de Minas Gerais e Goiás, cuja formação intelectiva ou cognitiva é deficiente em linguagem popular: semianalfabetos, disse o profissional

Mais um grupo de brasileiros em Massachusetts se uniu para denunciar uma pessoa que atende pelo nome de Vladimir Alexandre Ferreira Tamarindo e se apresenta nas redes sociais como advogado Miguel Ferreira, residente no Brasil e que pode conseguir Visto para os Estados Unidos. O problema é que ele cobra uma taxa muito alta pelo serviço e quando o cliente faz muitas perguntas, o suposto profissional o ataca com palavras preconceituosas.

Várias pessoas procuraram a redação do Brazilian Times para denunciar um suposto esquema que estaria gerando milhares de dólares em prejuízos. Uma destas vítimas é a mineira S.M.P., que teria contratado os serviços do profissional para conseguir Visto para alguns parentes. Além de não ter o serviço concluído, a brasileira foi alvo, também, dos ataques preconceituosos de Vladimir.

Quando ela o questionou sobre vários pontos do processo, ele desconversou e escreveu a seguinte mensagem de texto: “Prezada Senhora, infelizmente o perfil dos brasileiros que residem nos Estados Unidos é o pior possível. Notadamente pessoas oriundas dos estados de Minas Gerais e Goiás, cuja formação intelectiva ou cognitiva é deficiente (em linguagem popular: semianalfabetos)... O Brasil exporta ‘lixo humano’... saem do Brasil sem saber bem o português e pouco de leitura que possuem se perde ao longo dos anos que estão nos Estados Unidos... Nem leem o português, nem o inglês... Estudaram em escolas públicas brasileiras... Irei parafrasear (SIC-vide Metodologia Científica) o texto que está consubstanciado em meu perfil... Infelizmente existe a figura do ANALFABETO FUNCIONAL (lê mas não entende)... Mineiros... Goianos...”

Depois disso, ele a bloqueou para que a mineira não enviasse respostas. S.M.P. Ela disse que não pagaria o restante do combinado até que o processo fosse concluído. Mas o advogado respondeu de maneira ríspida e fez ameaças. “Ele me disse que pagou todo o processo e que eu lhe devia mais de US$10,000.00 e que iria cancelar todos os processos, ajuizaria uma ação civil e criminal contra o meu filho. Ele também disse que iria instaurar um inquérito policial junto à Polícia Federal, solicitando a colocação de um Gravame junto à Embaixada”, afirmou a vítima.

O advogado afirma ser credenciado junto à Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, mas através de um texto conseguido pela brasileira, o órgão informa que não se responsabiliza pelas ações destes profissionais. “A inclusão nesta lista não representa um endosso do Departamento de Estado ou da Embaixada/Consulados. Os nomes são listados alfabeticamente e a ordem em que aparecem não têm outro significado. As informações na lista sobre credenciais, áreas de atuação e habilidade no idioma são fornecidas diretamente pelos advogados. Você pode receber informações adicionais sobre os indivíduos contatando a ordem dos advogados local (ou seu equivalente)”, disse o comunicado.

O advogado se apresenta como Miguel Ferreira, mas quando ele fornece os dados de uma conta no Banco Santander, surge o nome de Vladimir Alexandre Ferreira Tamarindo. Através de uma pesquisa no Google, foram encontradas várias reclamações e processos por estelionatos contra ele. O suposto profissional também tem uma conta no Mercado Livre, onde vende produtos, mas não entrega, segundo denúncias no site “Reclame”.

Esta é a segunda vítima deste advogado, que o Brazilian Times divulga somente este ano. Mas conforme as informações, mais pessoas foram prejudicadas por ele.

Fonte: Da Redação do Brazilian Times | Reportagem de Luciano Sodré