Publicado em 23/02/2015 as 12:00am

Filipe está com Rotavírus e inspira cuidados

Sua baixa imunidade torna muito difícil o tratamento e a recuperação

O pequeno Filipe Wolf, que desde o final de 2011 está nos Estados Unidos, luta contra um raro tipo de câncer, a Histiocitose de Células de Langerhans. Neste período ele já passou por vários tratamentos, um transplante de fígado e enfrentou algumas doenças devido a sua baixa imunidade. A história deste sul-matogrossense emocionou a todos e a comunidade em Massachusetts abraçou a causa.

Filipe se tornou um exemplo de luta e superação e a cada vitória em batalha contra a doença se tornou um motivo para que todos se unam mais em torno de um mundo solidário. Mas na semana passada, o pequeno herói foi internado com Rotavírus e passa por mais um momento de dificuldade em sua vida.

Por causa desta doença, ele está com diarreias, vômitos e muitas dores abdominais. No caso de Filipe, devido ao seu sistema imunológico frágil e seu histórico de saúde, a recuperação é difícil.

Devido à baixa imunidade, na quinta-feira (19), o menino precisou ser removido para a UTI do Mass General Hospital. Outra preocupação é que há cerca de um ano ele passou por um transplante de fígado e isso inspira maiores cuidados. Por isso, a equipe que realizou este procedimento está tomando conta dele e um infectologista foi acionado.

No domingo (22), ele recebeu alta do Hospital, mas ainda está bastante frágil e requer cuidados especiais. Os familiares e amigos estão preocupados e iniciaram uma campanha nas redes sociais pedindo orações pela recuperação e vida do garoto.

O vírus

O Rotavirus é um gênero de vírus de RNA de dupla hélice da família Reoviridae. Ele é uma das principais causas de diarreia grave em lactantes e crianças. É um do diversos vírus que causam infecções comumente chamadas de gastroenterite.

Estima-se que, aos cinco anos de idade, quase todas as crianças do mundo tenham sido infectadas pelo rotavírus, pelo menos uma vez. No entanto, como em cada infecção, a imunidade se desenvolve, as infecções subsequentes são menos graves, e adultos raramente são afetados.

Existem sete espécies desse tipo de vírus, conhecidas como A, B, C, D, E, F e G. O Rotavirus A, o mais comum, é o responsável por mais de 90% das infecções em seres humanos.


A HISTÓRIA DE FILIPE

O pequeno Filipe Wolff foi diagnosticado com a doença em abril de 2010 e chegou aos Estados Unidos quando tinha três anos de idade, junto com os seus pais. Para isso, a mãe dele, Evelyn Wolff, que morava em Campo Grande (Mato Grosso do Sul), fez um contato com uma brasileira que residia em Boston e trabalhava em um laboratório farmacêutico na cidade de Cambridge (Massachusetts).

Após o contato, a família recebeu as orientações decidas e no final de 2011, chegou a Massachusetts e desde então várias campanhas foram organizadas para ajudar a família a se manter e custear as despesas de tratamento.

Fonte: Da Redação do Brazilian Times | Reportagem de Luciano Sodré