Publicado em 25/02/2015 as 12:00am

Luta de homossexual por Green Card em MA pode virar filme

Genésio é natural de Governador Valadares (Minas Gerais), tem 35 anos de idade e morava em Londres, na Inglaterra.

O homossexual brasileiro Genésio Oliveira tem um relacionamento com o norte-americano Tim Coco há 13 anos e neste período sua história ganhou a mídia, sensibilizou pessoas e movimentou algumas autoridades. Ele lutava para ter o seu casamento reconhecido e obter direito ao “Green Card”, para poder viver tranquilo ao lado do companheiro.

Esta história teve reviravoltas, dramas, processos e até a ajuda do secretário de estado dos Estados Unidos, John Kerry. Depois de muita luta, no início deste ano, dia 02 de janeiro, Genésio conseguiu o documento. Agora, tudo que ele passou vai estar nas páginas de um livro que vai ser lançado em junho deste ano. Chamado de "Apart" (Separados), a obra está nos seus últimos capítulos. Outra alegria do casal, conforme conta o brasileiro, é que um roteirista de Hollywood está interessado em sua história.

Genésio é natural de Governador Valadares (Minas Gerais), tem 35 anos de idade e morava em Londres, na Inglaterra. Em 2002 ele viajou aos Estados Unidos e conheceu Tim Coco. Depois disso decidiu se mudar para Massachusetts, estado onde o norte-americano morava.

O brasileiro pediu asilo por ter sofrido abuso sexual no Brasil. Paralelo ao processo do asilo, dos dois se uniram em matrimônio no ano de 2005 e em 2007 foi feito o primeiro pedido para a permanência de Genésio nos Estados Unidos. Mas foi negado por um juiz e o mineiro foi obrigado a voltar ao Brasil, onde ficou por um ano. Depois ele retornou a Londres e ficou separado de seu companheiro por cerca de três anos.

Durante este período, Tim Coco fez várias campanhas, manteve contatos com organizações que defendem os direitos dos homossexuais, mas não conseguiu o apoio suficiente. Foi então que ele decidiu visitar do então senador John Kerry, na cidade, Haverhill (MA). Durante o encontro, ele contou a sua história e o político decidiu abraçar a causa. “Isso foi muito importante para o processo”, lembra.

Após três anos seperado, Genésio conseguiu retornar aos EUA, graças a um Visto Humanitário que lhe permitiu ficar provisoriamente nos Estados Unidos. Mas o documento deveria ser renovado a cada ano e isso gerava um medo de ser negado.

Mas no ano de 2013, Suprema Corte dos EUA considerou inconstitucional o "Defense of Marriage Act" (Lei de Defesa do Casamento, Doma na sigla em inglês), que negava aos casais do mesmo sexo nos Estados Unidos os mesmos direitos e benefícios federais garantidos aos casais heterossexuais.

Isso abriu caminho para o pedido de revisão do caso de Genésio pelo departamento de Imigração. E depois de muita luta, o “Green Card” finalmente chegou.

Para Genésio, “é um misto de alívio e de indignação por ter demorado tanto tempo. Gastamos mais de $250 mil dólares com todo o processo e com campanhas publicitárias. Chegamos a pensar em mudar de país para ficarmos juntos, mas não era justo Tim sair do próprio país para exercer um direito seu. Nossa história é um exemplo para as pessoas de que nunca se deve desistir do que quer".

Enquanto o livro não sai, o casal divide a história deles no blog www.reunitethisfamily.com.

Fonte: Da Redação